Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Bioestatística

Curso

Ciências da Nutrição

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

104 | 60

Código

ULHT1101-2193

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1 - Revisão das distribuições frequentemente usadas em inferência estatística; distribuições discretas (Binomial, Poisson) e distribuições contínuas (Normal ou de Gauss, Qui-quadrado, t-Student e F de Fisher-Snedcor).
2 - Estatística descritiva.
3 - Inferência estatística
4 -Testes de hipóteses paramétricos.
5 -Testes de qualidade de ajustamento: Qui-Quadrado e Kolmogorov-Smirnov.
6 - Testes de hipóteses não paramétricos.
7 - Tabelas de contingência (Teste Qui-Quadrado)
8 - Covariância. Correlação. Regressão linear.
9 - Potência de um teste e Erro Tipo II.
10 - Leitura crítica da investigação publicada.

Objetivos

Pretende-se com a unidade curricular de Bioestatística sensibilizar os alunos para a possibilidade de tratamento estatístico de questões essenciais ao desenvolvimento e aplicação nas mais variadas áreas do conhecimento.

A unidade curricular de Bioestatística tem como objectivo fornecer aos discentes ferramentas que lhes permitam aprender e assimilar conceitos em disciplinas subsequentes no âmbito da licenciatura. Concomitantemente, pretende-se que o aluno desenvolva métodos de raciocínio que o familiarizem com o planeamento experimental e resolução de problemas que normalmente virão a enfrentar, independentemente das matérias leccionadas.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

A unidade curricular proporciona aos discentes ¿ferramentas estatísticas¿ que lhes permitem aprender e assimilar conceitos em unidades curriculares subsequentes no âmbito da licenciatura.

Metodologias de ensino e avaliação

As metodologias de ensino aprendizagem incluem diversos instrumentos, baseados no ensino magistral /tutorial e no ensino teórico-prático, presenciais. Outros instrumentos de caracter não-presencial (moodle p.ex.) completam e diversificam as opções disponibilizadas. As aulas teórico-práticas pretendem aprofundar e exercitar os temas das aulas teóricas, proporcionando, desta forma, um contacto mais direto com os referidos temas.
O regime de avaliação é preferencialmente de caracter contínuo, e valoriza (A) a assiduidade e preparação prévia das Fichas a resolver nas aulas Teórico-práticas (15%) (B) 2 testes escritos (35% cada) e (C) Elaboração e apresentação relatório experimental escrito (15%) (Final = A(15%) + B(35%+35%) + C(15%). A nota mínima admissível para efeito de passagem é de 10 (0/20) valores.
Regime de exame:
Aplica-se aos alunos que por ele optem ou aos que não tiverem aproveitamento na avaliação continua.
A melhoria de nota pode ser realizada sob a forma de prova oral

Bibliografia principal

Staton A. Glantz. Primer of Bioestatistics (6th Edition), McGraw-Hill.
Carolyn M Hicks. Métodos de investigação para terapeutas clínicos. 3ª Edição. Lusociência.
Proença, I.M. (2010). Estatística, Euedito, Lisboa.
Daniel, W.W. (1995). Biostatistics: a foundation for analysis in the health science, 6ª Edição, John Wiley & Sons, New York.
Meyer, P. L. (1995). Probabilidade. Aplicações à Estatística, 2ª Edição, Livros Técnicos, Rio de Janeiro.
Murteira, B. J.; Ribeiro, C.S.; Silva, J.A. e Pimenta, C. (2002). Introdução à Estatística, McGraw-Hill, Portugal.
Robalo, A. (1990). Estatística ¿ Exercícios (Vol. I e II), Edições Sílabo.
Rosner, B. (2006). Fundamentals of Biostatistics, 6ª Edição, Thompson Brooks/Cole.
Spiegel, M.R. (1978). Probabilidade e Estatística, McGraw-Hill, São Paulo.