Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Farmacogenómica

Curso

Ciências Farmacêuticas

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Trimestral | 4,5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

4 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

110 | 45

Código

ULHT477-8498

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Farmacogenética e farmacogenómica
Definição e conceitos
Vantagens da Farmacogenómica
A relação da Farmacogenómica com a farmacocinética e a farmacodinâmica
Objetivos da farmacogenómica: candidate gene analysis, genome-wide association studies e human genome project

Metodologia
Métodos aplicados na prática clínica
Análise de DNA: PCR e sequenciação
Biomarcadores

Medicina Personalizada
História, conteúdos, objetivos e aplicação da medicina personalizada

Vantagens e aplicação clínica da farmacogenómica:
Doenças cardiovasculares
Doenças oncológicas
Doenças neurológicas

Farmacogenómica: conceitos éticos, legais e sociais

Objetivos

Com esta UC pretende-se que o aluno consiga:
1. Perceber como alterações genéticas influenciam a farmacocinética e a farmacodinâmica dos fármacos;
2. Conhecer diferentes técnicas utilizadas na prática clínica que permitem detetar as alterações genéticas;
3. Reconhecer a importância da Farmacogenómica na medicina personalizada para aumentar o efeito terapêutico e reduzir a toxicidade dos fármacos;
4. Conhecer as aplicações clínicas da Farmacogenómica em diferentes patologias (ex: cardiovasculares, oncológicas e neurológicas).

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

A farmacogenómica estuda como as diferenças genéticas entre indivíduos podem afetar as respostas aos diversos fármacos. No seguimento das competências adquiridas pelo aluno sobre o medicamento e a sua ação em diferentes patologias, a farmacogenómica possibilita que este adquira conhecimento sobre a influência das alterações genéticas no efeito terapêutico e nas reações adversas dos fármacos, numa perspetiva de terapêutica individualizada.

Metodologias de ensino e avaliação

Avaliação contínua
a)Apresentação e discussão de artigos e trabalhos a serem desenvolvidos nas aulas TP relacionados com a aplicação da farmacogenómica na prática clínica. Peso de 35% da classificação final

b)Apreciação do docente relativamente às seguintes qualidades e capacidades apresentadas pelo aluno: assiduidade, pontualidade, participação e capacidade de análise, de comentário e de discussão da bibliografia e dos temas expostos. Peso de 10% da classificação final

c)Realização de um teste final escrito que incluirá conteúdos discutidos nas aulas teóricas e teórico práticas. Peso de 55% da classificação final

Exame final: Serão admitidos a exame final escrito, os alunos que não tenham alcançado um resultado positivo durante a avaliação contínua. O exame incluirá os conteúdos abordados nas aulas teóricas e teórico práticas e o aluno terá ter um aproveitamento igual ou superior a 9,5 val.

Melhoria: Exame oral englobando a totalidade dos conteúdos programáticos.

Bibliografia principal

1) Feng, X., Xie, H. G. (Eds.). (2016). Applying Pharmacogenomics in Therapeutics. Boca Raton: CRC Press. doi:10.1201/b19000

2) Padmanabhan, S. (Ed.). (2015). Handbook of Pharmacogenomics and Stratified Medicine. London: Academic Press. doi:10.1017/CBO9781107415324.004

3) Liu, Y. (2014). Omics in Clinical Practice: Genomics, Pharmacogenomics, Proteomics, and Transcriptomics in Clinical Research. Boca Raton: CRC Press.

4) Harper, A. R., & Topol, E. J. (2012). Pharmacogenomics in clinical practice and drug development. Nature Biotechnology, 30(11), 1117,1124. doi:10.1038/nbt.2424

5) Wheeler, H. E., Maitland, M. L., Dolan, M. E., Cox, N. J., & Ratain, M. J. (2012). Cancer pharmacogenomics: strategies and challenges. Nature Reviews Genetics, 14(1), 23,34. doi:10.1038/nrg3352