Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

História da Saúde e Cultura Contemporânea

Curso

Ciências Farmacêuticas

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Semestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

95 | 45

Código

ULHT477-8495

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

I. As fontes da história das práticas médicas.
As práticas médicas na Pré-história e nas civilizações Pré Clássicas
O mundo grego. As escolas filosóficas e a medicina: Hipócrates.
As práticas médico-farmacêuticas em Roma: Galeno.
O mundo medieval e a doença.
A doença e a epidemia na Idade Média.
Época Moderna: Vesálio e a Fabrica, Ambroise Paré.
Descobrimentos e Ciências médicas.

II. A revolução científica séc. XVII a XIX
A assistência médica; os novos remédios; o ensino da medicina, a anatomia.
A anestesia
A assepsia
A teoria celular
A higiene pública

III. De Pasteur a Fleming
A teoria dos germes
Koch
A saúde pública
A oposição à medicina científica
Os antibióticos

IV. A 2ª metade do séc. XX
As novas drogas e as novas técnicas:
A revolução farmacêutica.
Problemas: a talidomida, a sida, o 3º mundo, etc.

V. Pesquisa, análise crítica e discussão de literatura científica enquadrada com os conteúdos programáticos da UC.

Objetivos

A unidade curricular de História da Saúde e Cultura Contemporânea visa dar uma perspectiva histórica das práticas médicas e farmacêuticas, bem como das personagens, técnicas e inovações que contribuíram para o estado actual dessas ciências.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Pretende, assim, contribuir para a compreensão do elevado valor da farmácia, do medicamento e da profissão farmacêutica na sociedade, bem como para a compreensão da importância da investigação farmacêutica e das ciências farmacêuticas na sociedade actual.

Numa outra vertente da unidade curricular, são ministradas as regras metodológicas que presidem à realização de pesquisas e à produção de textos científicos, individualmente, ou em colaboração.

Metodologias de ensino e avaliação

Regime de avaliação contínua:
Aulas orientadas por um docente, e na qual se utilizam materiais pedagógicos que privilegiam a interacção do aluno com as matérias leccionadas, recorrendo-se a exposições e trabalhos individuais e colectivos.
A nota final resulta da média ponderada dos seguintes componentes:
1) Uma frequência (F) durante o período lectivo, contribuindo a frequência em 70% para a classificação final.
2) Elaboração de um trabalho de grupo escrito (TE) que contribui com 20% para a classificação final
3) Apresentação de trabalho de grupo (TO) contribuindo 10% para a classificação (CF) final.

O regime de exame está reservado para os alunos que não apresentem elementos de avaliação ou não tenham aprovação no regime de avaliação contínua
Exame final escrito englobando a totalidade dos conteúdos programáticos.

Bibliografia principal

1. Cabral C, Pita JR. (2015) Sinopse da História da Farmácia . Cronologia. Coimbra: Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra CEIS20.
2. Frada, J. (2005), Novo Guia Prático para a Elaboração e Apresentação de Trabalhos Científicos. Col. Microcosmos. Lisboa: Ed. Cosmos.
3. Pita, J. R. (2007), História da Farmácia. Coimbra: Livraria Minerva Editora.
4. Porter, R. (1997). The Greatest Benefit to Mankind. A Medical History of Humanity from Antiquity to the Present. London: Fontana Press.
5. Sournia, J. C. (1995), História da Medicina. Lisboa: Instituto Piaget.