Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Tecnologia Farmacêutica II

Curso

Ciências Farmacêuticas

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Trimestral | 5,5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

4 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

140 | 90

Código

ULHT477-4115

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Boas práticas de fabrico. Licenciamento e assuntos regulamentares. Estabilidade de produtos farmacêuticos. Esterilização. Liofilização. Preparações para aplicação oftálmica, nasal e auriculares (preparação e controlo de qualidade). Injectáveis. Preparação e controlo de qualidade. Veiculação de fármacos e vectorização. Isotonia de preparações injectáveis. Estudo da influência da esterilização por calor húmido na estabilidade de um fármaco termossensível. Esterilização por calor seco e por filtração. Preparação e controlo de qualidade de soluções para aplicação nasal, oftálmica e auricular. Preparação e controlo de qualidade de soluções injectáveis de pequeno e grande volume. Controlo microbiológico. Ensaios de pirogenia.

Objetivos

O principal objectivo da disciplina de Tecnologia Farmacêutica II é o estudo pormenorizado das preparações injectáveis e das formas farmacêuticas estéreis para aplicação oftálmica, nasal e auricular. Além do modo operacional para a obtenção deste tipo de formulações farmacêuticas, com particular destaque para o processo de esterilização, serão abordados os respectivos ensaios de controlo de qualidade.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Pretende-se descrever os diferentes tipos de acondicionamento e avaliar as possíveis alterações das formulações farmacêuticas supracitadas. As aulas práticas pretendem proporcionar aos alunos um contacto mais efectivo com alguns dos temas apresentados nas aulas teóricas, nomeadamente, o processo de esterilização e a preparação e controlo de qualidade de algumas formulações farmacêuticas estudadas.

Metodologias de ensino e avaliação

As aulas teóricas são magistrais e as laboratoriais são destinadas a aprofundarem alguns dos temas leccionados nas aulas magistrais através de uma abordagem experimental. O material didático de apoio será disponibilizado na plataforma Moodle. A avaliação é feita através de um regime de avaliação contínua ou através de um regime de exame. Regime de avaliação contínua onde a nota final resulta da média ponderada dos seguintes componentes: assiduidade e desempenho 5% (A); duas frequências contribuindo cada uma delas com 25% (B); um relatório laboratorial 20% (C); um teste experimental 25% (D) e Nota Final = A (5%) + B1 (25%) + B2 (25%) + C (20%) + D (25%). O aluno trabalhador-estudante que optar pela avaliação contínua deverá cumprir com os requisitos acima definidos. Regime de exame. A avaliação por exame final aplica-se aos alunos que por ele optem abrangendo a totalidade dos conteúdos programáticos. Melhorias de nota através de uma prova de avaliação oral.

Bibliografia principal

Prista, L.N., Alves, A.C. & Morgado, R. (2007). Tecnologia Farmacêutica. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Parfitt, K., & Martindale, W. (2007). Martindale: The complete drug reference. London: Pharmaceutical Press.
Rowe, R.C., Sheskey, P.J., & Weller, P.J. (2003). Handbook of Pharmaceutical Excipients. London: Pharmaceutical Press.
United States Pharmacopeia Convention (2002). United States Pharmacopeia and National Formulary (USP 25-NF 20). Rockville: United States Pharmacopeial Convention, Inc.
Ministério da Saúde, Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (INFARMED) (2010). Farmacopeia Portuguesa 9.8. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda.