Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Veiculação de Fármacos

Curso

Ciências Farmacêuticas

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Trimestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

5 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

100 | 30

Código

ULHT477-5129

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Introdução. Tipos de sistemas de veiculação de acordo a sua natureza. O controlo da libertação e polímeros. Novos sistemas terapêuticos e vias de administração. Sistemas implantáveis. Os sistemas de administração parenteral. Os sistemas de administração oral. Os sistemas de administração transdérmica. Os sistemas de administração nasal. Os sistemas de administração pulmonar. Os sistemas de administração oftálmica. Os sistemas de administração no Sistema Nervoso Central. Tecnologias de nova geração. Tendências emergentes a nível comercial, regulatório e político.

Objetivos

Esta UC tem como principal objectivo reunir os conhecimentos adquiridos na Farmácia Galénica, Tecnologias I, II e III e aplicá-los aos novos Sistemas de Veiculação de Fármacos.
Serão abordados os principais tipos de Sistemas de Veiculação desde a sua preparação à sua caracterização da físico-química. Sempre que possível, serão apresentados produtos farmacêuticos comercializados produzidos com estas novas tecnologias.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Após frequência desta unidade curricular, o aluno deverá ter adquirido competências para:
Compreender a necessidade de novos Sistemas de Veiculação e os diferentes tipos de acordo com as aplicações;
Distinguir os diferentes mecanismos de libertação de fármacos;
Assimilar as principais diferenças entre os Sistemas de Veiculação mais estudados actualmente.

Metodologias de ensino e avaliação

Aulas magistrais seguindo o programa definido de acordo com os objectivos da unidade curricular. Estimula-se a participação dos alunos através da apresentação de trabalhos e formulação de hipóteses científicas e questões.
O regime de avaliação contínua engloba:
(A) 1 teste escrito (50%);
(B) Apresentação de um trabalho (20%);
(C) Discussão de um caso prático (20%);
(D) Desempenho (10%)
Final = A (50%) + B (20%) + C (20%)+ D (10%)

O aluno trabalhador estudante que opte pela avaliação contínua deve cumprir os requisitos acima definidos. A avaliação por exame final aplica-se aos alunos que por ele optem e abrange a totalidade do programa. A melhoria de nota realiza-se na forma de exame oral, que inclui a totalidade dos conteúdos programáticos.
A plataforma Moodle será o modo oficial de comunicação com os alunos e de disponibilização de material didático.

Bibliografia principal

1. INFARMED. 2010. Farmacopeia Portuguesa IX Edição. 9.0 ed. Imprensa Nacional Casa da Moeda, Portugal;
2. Rowe, RC et al. 2012. Handbook of Pharmaceutical Excipients. 7th ed. London: Pharmaceutical Press, UK;
3. Aulton, M E. 2007. Aultons Pharmaceutics: The Design and Manufacture of Medicines. 3rd ed. Elsevier Health Sci, Reino Unido;
4. Lachman, L et al. 2001. Teoria e Prática na Indústria Farmacêutica. 1st ed. Fundação Calouste Gulbenkian, Portugal;
5. Arias, J et al. 2012. Nanotechnology and Drug Delivery, CRC Press, USA.