Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Política e Estratégias para a Universalização de Conteúdos Digitais Acessíveis

Curso

Comunicação Alternativa e Tecnologias de Apoio

Grau|Semestres|ECTS

Mestrado | Semestral | 7

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

175 | 30

Código

ULHT369-16415

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

0.1. Apresentação da Cadeira & Condições de Avaliação
1.1. Pressupostos conceptuais e teóricos da PEUCD do MCATA.
1.2. A Perspectiva Neurocognitiva sobre os Conteúdos Digitais e a Aprendizagem.
1.3. Políticas e Estratégias para um Desenvolvimento Infotecnológico Inclusivo.
1.4. Investigação, Recursos e Implementação no Mundo.
1.5. A Infotecnologia Inclusiva na Compensação e Ampliação Comunicacional dos diferentes handicaps.
1.6. A Universalização dos Conteúdos Digitais Acessíveis e a Globalização da Informação Inclusiva.

Objetivos

É preciso equacionar estratégias e políticas que potenciem esta ¿revolução¿ em benefício das pessoas portadoras de deficiência e com desvantagens comunicacionais. As Políticas e Estratégias para a Universalização dos Conteúdos Digitais constituem, assim, uma disciplina, um espaço de informação e debate sobre este desígnio civilizacional.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Pretende-se problematizar o surgimento das novas condições de aprendizagem resultantes das TIC e dos Conteúdos Digitais, com uma amplitude universal e nos contextos inclusivos.

Metodologias de ensino e avaliação

O ensino da disciplina tem por base um misto laboratorial de componentes teóricas e componentes práticas. As componentes teóricas são constituídas, no seu essencial, por sessões/momentos expositivas, que servem para introduzir os conceitos fundamentais associados a uma necessidade ou relação necessidade/aplicação. As componentes práticas constituem essencialmente ensaios de ideias ou concepção de aplicações, eventualmente com recurso a softwares específicos.

Bibliografia principal

Comissão das Comunidades Europeias. (2010) Relatório Anual de 2007 sobre a Sociedade da Informação.
CONSELHO DA EUROPA. Recomendação Rec (2006) 5. Plano de Acção do Conselho da Europa para se promover os direitos das pessoas com deficiência/incapacidade e a sua total participação na sociedade: melhorando a sua qualidade de vida na Europa de 2006 ¿ 2015. Conselho da Europa. Comité de Ministros.
GUERREIRO, Augusto Deodato (2001) As novas tecnologias e a emergência de um novo paradigma comunicacional. «Comunicação e Sociedade». Universidade do Minho / ICS, Braga, nºs 1-2; 195-207.
LEITE, Manuel da Costa, & CALLAPEZ, Maria Elvira. (2004). ICT, Neurocognitive Fundamentals and Learning. EISTA, Florida, USA.
ONU. Protocolo Opcional à Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, adoptado em Nova Iorque em 30 de Março de 2007. Versão em Aprovada em Portugal pela Resolução da Assembleia da República n.º 57/2009.
W3C - World Wide Web Consortium ¿ Documentos diversos