Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Cultura Visual

Curso

Artes Performativas e Tecnologias

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 6

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

150 | 60

Código

ULHT1639-7243

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

a imagem como problema
Walter Benjamin e a descolagem técnica das imagens
O que é cultura visual?
O problema da cultura visual
A cultura viosual em debate
a época da imagem
Crise da iconologia
A época da representação (Foucault)
Descentramento e fragamentação da imagem do mundo na modernidade
Os regimes opticos modernos (crary)
Mudança da percepção do real e controlo da visão
Sobre as imagens comtemporâneas
Imagem e cinematismo
Telemáticas da imagem
Coclusão
Para uma critica da economia geral das imagens

Objetivos

É objectivo da unidade curricular que o aluno ganhe uma sensibilidade de cultura visual capaz de permitir uma relação mais própria comproblemática da imagem.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Trata-se de aprender:
a) os processos de hipervisualização que circundam e envolvem a totalidade do real;
b) A lógica de evolução de máquinas e dispositivos ópticos e a sua convergência digital;
c) O investimento da percepção pela ciência e a técnica;
d) Os procedimentos de captura e domesticação da visão, nomeadamente da dialética entre atenção e distração;
e) as maneiras de interromper e reafectar os processos de controlo da visão, libertando as imagens.

Metodologias de ensino e avaliação

Ensino dispositivo com resurso a discussão de obras particulares de vários artistas.

Bibliografia principal

Benjamim, W. (2006). a obra de arte na época da sua reprodutibilidade técnica. In A Modernidade. Obras Escolhidas, (coord. e trad. João Barrento) vol.3 Lisboa:Assirio & Alvim.
Bryson, N., Mitchell, W. J. T., et al. (2004) Respuestas a "El essencialismo visual...". Estudios Visuales, 2, 51-96.
Crary, J (1988). Tecniques of the Oserver. October, 45, 3-35.
Foucault, M. (2002) Las meninas. In Les Mots et les choses (58-71). Paris, Gallimard.
Gauasch, a.M. (2003). Los Estudios Visuales. Um estado de la cuestión. Estudios Visuales, 1. 8-16
Martine, J. (2005). aimagem suspeitada. In A imagem e os signos (pp.55-71). Lisboa: Eduições 70.
Miranda, J.B. (2008). corpo e Imagem. Lisboa:Veja.
Mirzoeff, N. (1998). What is Visual culture? In, The Visual culture Reader (pp.1-11). New York: Routledge.
Mondzain, M.J. (2000).Iconic Space and the Rule of Lands. Hypatia, 15:4, 58-76.
Riquelme, R. (2005). Episteme. Estudios Visuales, 3,24-33