Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

História das Ideias e Teorias Políticas II

Curso

Ciência Política e Relações Internacionais

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 6

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

150 | 45

Código

ULHT11-7446

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. O Republicanismo
1.1. O que é o republicanismo?
1.2. Republicanismo clássico vs moderno
1.3. Republicanismo e democracia
2. O contratualismo
2.1. O que é o contratualismo?
2.3. Estado natureza e sociedade política
2.3.1. O contrato hobbesiano
2.3.2. O contrato lockiano
2.3.3 O contrato rousseuaniano
2.5. Contratualismo e sociedade
3. O conservadorismo
3.1. O que é ser conservador?
3.2. Racionalismo e Política
3.3. O neo-conservadorismo
3.3.1. Raízes
3.3.2. Princípios políticos
4. O totalitarismo
4.1. As sociedades sem classes
4.2. O movimento totalitário
4.3. O Estado totalitário
4.4. Uma nova forma de governo: ideologia e terror
5. Teorias da justiça
5.1. A justiça como equidade
5.2. A teoria do justo título
5.3. As esferas da justiça
5.4. Perspectivas críticas da justiça

Objetivos

- Desenvolver o espírito crítico
- Perceber o processo que esteve na génese da História das Ideias
- Compreender as transformações conceptuais das ideais e teorias políticas da Idade Moderna até à Época Contemporânea.
- Tomar consciência da pertinência da História das Ideias na inventariação dos elementos constitutivos da matriz do pensamento político ocidental
- Ter a percepção dos conceitos de determinada época
- Compreender diversas perspectivas teóricas sobre um mesmo conceito

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Os alunos deverão compreender de que forma as ideias se podem traduzir em ideologias, doutrinas e teorias.
Deverão também conhecer os principais autores e as ideias, teorias e obras essenciais na constituição do pensamento político ocidental. No que concerne às capacidades e competências, os discentes deverão desenvolver a capacidade de argumentação e o espírito crítico. Deverão ainda ser capazes de analisar corpus teóricos e adquirir
competências cognitivas e processuais que promovam em estágios posteriores da sua formação a elaboração de trabalhos de elevada qualidade.

Metodologias de ensino e avaliação

A unidade curricular adota a metodologia subjacente às Ciências Sociais, ou seja, uma metodologia teórico-analítica.
Como se trata de uma unidade teórica, combina-se a metodologia de tipo diretivo - utilizando os meios expositivos e interrogativos -, com a análise de corpos teóricos, seguida de debate e da produção individual de pequenos ensaios.
Regras de Avaliação: Compreende duas modalidades em alternativa: avaliação contínua ou avaliação através de exame.
A avaliação contínua requer uma assiduidade a três quartos das aulas, participação e um teste final.
Valor da ponderação.
Participação - 15% - O regime de assiduidade e participação
Testes - 85% - 2 testes sobre os conteúdos disciplinares leccionados.

Bibliografia principal

Arendt (2004). As Origens do Totalitarismo. Lisboa: D. Quixote.
Hobbes, T. (1651). Leviathan, in The English Works of Thomas Hobbes of Malmesbury (ed. Sir William Molesworth).
London: Scientia Verlag Aalen, Darmstadt, 1839, vol. III.
Locke, J. (1689). A Letter Concerning Toleration. Indiana: Hackett Publishing Company, 1984.
Maquiavel, N. (1975). Il Príncipe. Milão: Ed. Rizzoli.
Nozick, R. (1974). Anarchy, State, and Utopia. Oxford: Blackwell.
Oakeshott, M. (1962). Rationalism in Politics and other essays. Totowa, New Jersey: Methuen & CO Ltd, Rowman and
Littlefield.
Rawls, J. (1971). A Theory of Justice. Oxford: Oxford University Press.
Rousseau, J. J. (1762). Du Contrat Social (introdução de Pierre Burgelin). Paris: Flammarion.
Sandel, M. (1982). Liberalism and the Limits of Justice. Cambridge: Cambridge University Press.
Walzer, M. (1983). Spheres of Justice. A Defence of Pluralism & Equality. Oxford: Blackwell.