Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Política e Comunicação

Curso

Ciência Política e Relações Internacionais

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 6

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

150 | 45

Código

ULHT11-1422

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. Convergência da teoria política clássica e da teoria da comunicação numa nova teoria política. 2. Democracia representativa, media e opinião pública: paralelismo histórico-evolutivo e sistemático. Modelos de comunicação e sistemas políticos: uma «convergência paralela»? 3. Comunicação, informação, propaganda e marketing. Spinning e comunicação instrumental. O «efeito de interpolação» dos media. Política e teorias dos efeitos. Um conceito de fronteira: a «legitimidade flutuante». 4. Comunicação, códigos éticos e função social dos media. 5. Política e mercado eleitoral: campanhas eleitorais e «permanent campaign». 6. A questão da hegemonia. 7. O Gabinete de Comunicação
do Presidente dos EUA. 8. Dois casos europeus: a) como ganhou Berlusconi as eleições legislativas de 1994; b) como se processou a construção do New Labour. 9. O caso da rede: uma simetria perfeita entre o modelo reticular, ou pós-mediático, de comunicação e o sistema democrático representativo? 10. O poder diluído

Objetivos

Com esta Unidade Curricular pretende-se dotar o aluno de instrumentos conceptuais rigorosos que o habilitem a produzir um discurso científico rigoroso sobre comunicação política, com vista a um competente exercício profissional.
Ou seja, pretende-se desenvolver capacidades de análise quer no plano do método (teorias e conceitos) quer no plano do objecto (determinação conceptual do campo de análise), de modo a que o aluno fique em condições de operacionalizar a teoria no concreto campo da análise empírica. Ao estudar três casos de convergência entre
comunicação e política, Gabinete de Comunicação do Presidente dos USA, New Labour e Forza Italia, pretende-se, precisamente, promover capacidades de análise conceptual rigorosa sobre concreta matéria empírica, preparando o aluno para uma eficaz conversão profissional do saber adquirido.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Dotar o aluno de instrumentos conceptuais rigorosos que o habilitem a produzir um discurso científico rigoroso sobre comunicação política, com vista a um competente exercício profissional.

Metodologias de ensino e avaliação

As aulas consistirão em exposições teóricas, com debates em aula, sobre a) metodologia de acesso teórico às relações entre política e comunicação, b) as principais teorias e modelos de comunicação e c) o património conceptual da teoria da comunicação aplicada à política. Com os instrumentos teóricos adquiridos, desenvolver-se-á uma análise histórica concreta dos três casos, com a) introduções histórico-evolutivas, b) análise sistemática das principais variáveis, recorrendo a c) análises quantitativas (sobretudo no caso italiano) e d) a exibição de vídeos.
Finalmente, desenvolver-se-á uma análise comparativa entre os modelos mediático e reticular de comunicação, na ótica da democracia representativa. Assim, a avaliação incidirá sobre o controlo analítico dos conteúdos programáticos, através de teste (45%), e sobre um trabalho que demonstre capacidade de operacionalização dos instrumentos conceptuais adquiridos (45%). O debate em aula vale 10%.

Bibliografia principal

CANEL, M. (2008). Comunicación política. Madrid: Tecnos.
CASTELLS, M. (2007). Communication, Power and Counter-Power in the Network Society. In International Journal of Communication, 1, 238-266.
HABERMAS, J. (1982). Theorie des kommunikativen Handelns. Frankfurt/a/M: Suhrkamp.
HABERMAS, J. (2002). Storia e critica dell¿opinione pubblica. Roma: Laterza.
HALLIN, D. & MANCINI, P. (2004). Comparing Media Systems. Cambridge: Cambridge University Press.
LIJPHART, A. (2007). Modelos de Democracia. Barcelona: Ariel.
LUHMANN, N. (2000). La realtà dei mass media. Milano: FrancoAngeli.
McQUAIL, D., (1992). Media Performance. Mass Communication and the Public Interest. London: Sage.
SANTOS, J. A. (2008). Medios y poder: cambios y perspectivas en las relaciones entre política, medios y comunicación. In J.T. Álvarez (Ed.), Muchas voces. Un mercado. La industria de la comunicación en Iberoamérica (pp. 257-273). Madrid: Universitas.