Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Atelier de Economias e Políticas Culturais

Curso

Ciências da Comunicação e da Cultura

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

3 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

125 | 45

Código

ULHT24-3-10116

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Introdução (a importância dos conceitos) Economia (¿valores¿ da cultura) Política e Políticas (a acção humana)
Cultura (variações e práticas culturais) O Estado de Bem Estar, o Bem Geral, Interesse Público e Serviço Público
Política Cultural em Portugal; Do 25 de Abril de 1974 a uma Europa Alargada (Percurso e motivações) Municípios,
Associativismo e Desenvolvimento local Políticas Nacionais; Estratégias sectoriais e investimento estratégico
Competências e Atribuições da Administração Local e Central Profissões culturais / Gestão cultural (público e privado/
análise de casos) Programas de apoio e financiamento: local, nacional e internacional Apoios, patrocínios, mecenatos
e parcerias Internacionalização: Representação oficial em eventos (Bienais, Trienais, Quadrienais) Mobilidade
artística Modelos Internacionais (Análise de casos) Programas de apoio na Cultura Programas de apoio a projectos
culturais (análise de casos)

Objetivos

Reflectir sobre algumas problemáticas contemporâneas suscitadas nos domínios profissionais da Cultura.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Abordar de forma operativa os conceitos trabalhados. Compreender o mercado da cultura e suas variantes produtivas
e/ ou produtoras, a especificidade histórica portuguesa e os contextos estruturantes que a reposicionam numa Europa
Cultural, a partir dos anos 90. Aquisição de ferramentas teórico-reflexivas aplicáveis na identificação de problemas
suscitados pela análise de casos práticos, conseguindo compreender e explorar as suas diversas opções
metodológicas (conhecimento da noção de Estado, suas competências e legislação de referência sobre direitos
culturais; conhecimento de fontes de apoio na viabilização de projectos culturais.

Metodologias de ensino e avaliação

Trabalho prático individual (de acordo com normas previamente definidas) : 50% Frequência (prova escrita): 50% A
unidade curricular a uma presença em aula de 75%. Esta norma regula a efectiva presença do estudante em sala de aula, permitindo a feitura de trabalhos e leituras importantes para o seu desenvolvimento pessoal e científico. Como
em todas as unidades curriculares, são vários os momentos de avaliação que permitem detectar o aproveitamento do
estudante e corrigir os aspectos pedagógicos e didácticos ineficazes ou insuficientes, individual ou colectivamente. O
estudante obterá aproveitamento da disciplina se tiver nota final igual ou superior a 10 valores.

Bibliografia principal

CARRILHO, Manuel Maria. (1999). Hipóteses de Cultura. Lisboa: Ed. Presença.
DUBOIS, Vincent. (1999). La politique culturelle; Genèse d¿une catégorie d¿intervention publique, Paris: Éd. Belin.
FORTUNA, Carlos (Org.). (1997). Cidade, Cultura e Globalização. Oeiras: Celta Ed. LIMA DOS SANTOS, M.ª de
Lourdes (Coord.). OBS - Boletim, Ed. Observatório das Actividades Culturais (nº 1 a 14) LÓPEZ DE AGUILLETA,
Iñaki. (2000). Cultura y Ciudad; Manual de Política Cultural Municipal. Gijón: Ed.Trea.
MARQUES, Fernando Pereir. (1995). De que falamos quando falamos de Cultura? Lisboa: Ed. Presença.
MELO, Alexandre. (2002). Globalização Cultural. Lisboa: Quimera Ed. SILVA, Augusto Santos. (2003). ¿Como
classificar as políticas culturais?¿, in OBS: Publicação periódica do Observatório das Actividades Culturais, nº12, (pp.
10 a 20).
TEIXEIRA LOPES, João. (2007). Da Democratização à Democracia Cultural; Uma reflexão sobre políticas culturais e
espaço público. Lisboa: Profedições.