Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Programação Cultural

Curso

Ciências da Comunicação e da Cultura

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

3 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

125 | 45

Código

ULHT24-3-2385

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1.Programação e legitimação 1.1. O campo cultural e a distinção (Bourdieu); 1.2. A emergência do programador
cultural: factores históricos e sociológicos; 1.3. O programador cultural: campo de actuação; 1.3.1. O curador: campo
de actuação; 1.4. A mediação cultural: criadores, público e agentes político-institucionais; 1.5. O programa e o acto de
seleccionar; 2. Cultura e poder 2.1. Discurso e poder (Foucault); 2.2. O poder simbólico (Bourdieu); 2.3. O Cânone e a
vanguarda: selecção de criações; 2.3.1. Caso de estudo: a música erudita; 2.4. Local versus global: estratégias de
programação; 2.5. As políticas culturais: nacionais e locais; 3. A cultura e a cidade 3.1. Lugar e Não-lugar (Augé); 3.2.
As capitais culturais e a descentralização; 3.3. Cidades criativas: oportunidades e mitologias; 4. Questões das
práticas da curadoria e da programação 4.1. O «conceito» como metodologia; 4.2. A vanguarda e as instituições: o
caso dos museus; 4.3. A ideologia do «cubo branco»

Objetivos

Sendo uma unidade curricuar teórica e prática, será privilegiado o grau de caracterização e conhecimento que, sobre
o caso concreto de programação cultural em análise, o estudante alcance. Deste modo, e consoante as
problemáticas suscitadas pelo tema de trabalho, o estudante desenvolverá conceitos genéricos de uma forma
operativa e singular. Desse trabalho resultará uma reflexão conceptual sobre problemáticas específicas da
Programação Cultural enquanto actividade profissional.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Pretende-se que o estudante desenhe o seu percurso analítico relativo à actividade profissional do Programador
Cultural a partir de uma proposta de trabalho sobre uma programação cultural. Essa análise responderá a um
conjunto de requisitos obrigatórios e constituirá o plano de trabalho a desenvolver ao longo do semestre.
Capacidade de compreensão crítica das actividades profissionais de mediação cultural, articulando conceitos teóricos
e competências, mediante aplicação de ferramentas teóricas.

Metodologias de ensino e avaliação

Metodologia de ensino 1. Aulas Teórico-Práticas a partir de bibliografia disponibilizada 2. Apresentação de casos
práticos 3. Realização de trabalho Teórico-Prático individual, com apresentações parcelares ao longo das sessões,
em regime de aula laboratorial e entrega final. ¿ Avaliação 1. Apresentação oral de um dos textos assinalados no
programa para discussão nas aulas. (25%) 2. Ensaio sobre o tema 'programação cultural' ou sobre o tema
`curadoria¿. (40%) Tamanho: 15.000 caracteres (8-10 pp). 3. Pesquisa de campo: levantamento de criações culturais
e artísticas produzidas na Universidade Lusófona, sua caracterização e projecção numa base de dados. (35%)

Bibliografia principal

BECKER, Howard (1982), Mundos da arte, Lisboa, Livros Horizonte.
BOURDIEU, Pierre (2006), A distinção: crítica social do julgamento, Porto Alegre, Zouk.
BOURRIAUD, Nicholas (2002), Relational Aesthetics, s.l., Les presses du réel.
BOVONE, Laura (1997), «Os novos intermediários culturais. Considerações sobre a cultura pós-moderna», in Cidade,
Cultura e Globalização ed. C. Fortuna, Oeiras, Celta Editora, 105-120 CARPENTER, Gaylene & Doug Blandy ( eds.)
(2008), Arts and cultural programming. A leisure perspective, human kinetics.
MOULIN, Raymonde (1992), L¿artiste, l¿institution et le marché, Paris, Flammarion.
VARGAS, António Pinho (2011), Música e poder. Para uma sociologia da ausência da música portuguesa no contexto
europeu, Coimbra, Almedina