Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Teoria dos Media

Curso

Ciências da Comunicação e da Cultura

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

125 | 45

Código

ULHT24-1421

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1) Determinação genealógica do conceito de «meio». Sentido e objecto de uma ¿teoria dos
media¿. Os dispositivos técnicos e a sua discursividade: da antiguidade ao presente.
2) Media, discurso, realidade; media e poder; media e suspeição; media e simulações;
remediação.
3) Crítica marxista dos media: Walter Benjamin: media e arte; Günther Anders: mundo
em imagens; Hans Magnus Enzensberger: media e mobilização.
4) A escola canadiana dos media: Harold A. Innis: tempo e espaço; Eric A. Havelock: a
herança grega; Marshall McLuhan: as extensões do corpo.
5) Teoria dos meios na actualidade: Niklas Luhmann: forma e meio; Jean Baudrillard: a
agonia do real; Paul Virilio: excesso e velocidade; Boris Groys: o submediático; Friedrich
Kittler: o pó-humano.

Objetivos

a) distinguir meio e tecnologia;
b) descrever a tecnologização da experiência;
c) aplicar os conhecimentos de forma argumentativa e crítica;
d) identificar os principais paradigmas no pensamento das mediações;
e) produzir um juízo crítico sobre os media em contexto criativo;
f) reconhecer as figurações dos media sobre a cultura;
g) conhecer a genealogia dos meios;
h) reconhecer a `realidade dos media¿;
i) identificar as diferenças e antíteses entre as diferentes posições teóricas;
j) posicionar-se criticamente sobre a história dos media;
k) conhecer as relações entre media e sociedade;
l) determinar o impacto dos media na estética e nas artes;
m) saber identificar as estratégias políticas dos media;
n) identificar as linhas de investigação em media, prática e teoricamente ;
o) saber capaz de construir um discurso argumentativo sistemático e fechado sobre as relações entre cultura, arte, media e realidade

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

O curso perseguirá as seguintes interrogações: como se pode reflectir sobre a importância dos media para a formação de uma imagem do homem e do mundo, quando são estes que, ao mesmo tempo, prescrevem a estrutura dessa `representação´? Como se pode perceber a importância dos media como instrumentos de `representação' da relação do homem com o mundo, dispondo-o para as coisas do mundo e para os assuntos humanos, quando são os media que o apresentam, deixando o mundo das coisas e dos homens à nossa disposição e sob a sua imposição?
Como é que um conceito de medium se pode ter desenvolvido a partir da nossa experiencia do mundo, se são eles que a constituem estruturalmente?

Metodologias de ensino e avaliação

Por ser uma unidade curricular de natureza, objectivos e competências essencialmente teóricos, a aula magistral apresenta-se como a metodologia mais pertinente. O levantamento de problemas, sua delimitação e explicitação são os elementos de principal uso. A heurística textual e hermenêutica serão também recursos a utilizar. A verificação e acompanhamento da aquisição de competências faz-se também a partir da discussão pública dos argumentos em torno dos problemas levantados.
Avaliação: a avaliação terá dois momentos, um qualitativo e outro quantitativo. O qualitativo será testado pela assiduidade dos alunos e a sua participação, bem como de um exercício de apresentação de um tema-problema presente no programa. A avaliação quantitativa faz-se pela elaboração de um exame de frequência
Ponderação da avaliação: assiduidade: 10%; apresentação oral: 40%; exame de frequência: 50%.

Bibliografia principal

Anders, Günther (2010). La obsoslescnencia del hombre. Valencia: Pre-Textos.
Baudrillard, Jean (1996). O crime perfeito. Lisboa: Relógio d¿Água.
Benjamin, Walter (2006). «A obra de arte na era da sua possibilidade de reprodução técnica».
Lisboa: Assírio & Alvim.
Enzensberger, Hans Magnus (1997). «Constituents of a Theory of Media». In Druckrey,
Thimothy (Ed.), Electronic Culture. New York: Aperture.
Groys, Boris (2000). Bajo sospecha. Una fenomenología de los medios. Valencia, Pre-textos.
Havelock, Eric (1999). «The Greek Legacy». In David Crowley and Paul Heyer,
Communication in History: Technology Culture, Society. New York: Longman, pp. 54-60.
Innis, Harold A. (2006). The Bias of Communication. Toronto: Toronto University Press.
Kittler, Friedrich A. (1999). Gramophone, Film, Typewriter. Stanford: Stanford University Press.
McLuhan, Marshall (2001). Understanding Media. London/New York: Routledge.
Virilio, Paul (1999), Estética de la desaparación. Barcelona: Anagrama.