Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Teorias e Modelos da Comunicação

Curso

Ciências da Comunicação e da Cultura

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

125 | 45

Código

ULHT24-2348

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. Compreender o Papel da Informação no Mundo Contemporâneo:
2. Da Comunicação de Massas ao Mundo em Rede:
3. As Teorias Clássicas:
4. Efeitos a Curto Prazo:
5. Agenda-Setting:
6. Gatekeeping:
7. Comunicação Planificada:
8. A Teoria Culturológica e a Perspetiva dos Cultural Studies:
O Centro de Birmingham (Hoggart, William e Thompson).
9. Niklas Luhmann: A comunicação como operador central dos sistemas sociais: a improbabilidade comunicativa.

Objetivos

Sabermos que as Teorias e Modelos da Comunicação antecedem, largamente, a Sociedade em Rede contemporânea. Se é certo que devem ser reavaliadas à luz das transformações aí emergentes, não será possível ao estudante das Ciências da Comunicação ignorar a cronologia da construção teórica do objeto comunicacional. Estes estudos afetam, necessariamente, os conceitos de "informação", "media", "agente" e "processo comunicacional".
Os processos da comunicação de massas serão o objeto principal, embora não único, dos estudos desenvolvidos nesta unidade curricular. Tais processos serão enquadrados por um questionamento geral sobre comunicação, significação e sociedade contemporânea.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Os estudantes deverão adquirir um conhecimento geral e teórico dos Modelos e Teorias da Comunicação ao longo das últimas sete décadas e meia. Os estudantes deverão, implicitamente, conseguir integrar, no todo ou em parte, algum dos modelos na análise de material recolhido nos diversos Meios de Comunicação de Massas.

Metodologias de ensino e avaliação

Avaliação dos alunos, mediante a formulação de uma ponderação final em que se acha uma classificação quantitativa, a partir:
a) Da assiduidade e participação nas questões colocadas em aula;
b) Da realização de dois momentos de avaliação/provas escritas, abrangendo todo o conteúdo programático (1. Sucintos Trabalhos Teórico-Práticos e/ou Relatórios de filmes exibidos em aula ou de preleções de convidados sobre a matéria e/ou a partir de textos a indicar, e 2. Frequência Final), envolvendo a pesquisa e a básica estruturação metodológica e científica;
classificação: 1º=50% e 2º=50%.
c) Das respostas dos estudantes aos dois momentos, com uma questão (nos Trabalhos) e duas questões (na Frequência) colocadas (envolvendo toda a matéria exposta e discutida ao longo do Conteúdo Programático).

Os alunos que, no conjunto das duas provas prestadas, obtiverem como resultado o mínimo de 10 (dez) valores, estarão aprovados

Bibliografia principal

CARDOSO, Gustavo (2006). Os Media na Sociedade em Rede. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
CASTELLS, Manuel (2005). A Sociedade em Rede. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
FREIXO, Manuel João Vaz (2006). Teorias e Modelos de Comunicação. Lisboa: Instituto Piaget.
GUERREIRO, Augusto Deodato (2014). História Breve dos Meios de Comunicação: Da Imanência Pensante à Sociedade em Rede. Almada: EDLARS - Educomunicação e Vida.
LUHMANN, Niklas (2004). A Realidade dos Meios de Comunicação. São Paulo: Paulus.
MCQUAIL, Denis (2003). Teoria da Comunicação de Massas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.