Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Cultura Visual

Curso

Comunicação Aplicada: Marketing, Publicidade e Relações Públicas

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

100 | 45

Código

ULHT168-7243

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

I. A cultura visual como campo disciplinar
1.1. O fotográfico e a cultura visual;
1.2. A emergência da cultura visual como campo de estudos;
1.3. Declínio dos programas iconológicos e representativos;
1.4. Os meios e os objectos da cultura visual;
1.5. ¿Pictorial Turn¿ e a literacia visual.

II. A análise da visão e as imagens ópticas
2.1. As caixas ópticas e o espectáculo dos peepshows;
2.2. Fantasmagoria, media luminosos e imagens transparentes;
2.3. A lanterna mágica e os brinquedos ópticos pré-cinematográficos.

III. A cultura popular da fotografia no século XIX
3.1. O retrato como meio de afirmação social;
3.2. A fotografia vernacular: memória e morte;
3.3. A fotografia estereoscópica: profundidade, proximidade e ¿visão táctil¿;
3.4. Análise crítica: topoi;

IV. Sobre as imagens contemporâneas
4.1. Visões de mundo e espectáculos de viagem;
4.2. Cinematismo e visualidades móveis;
4.3. Telemáticas da imagem.

Objetivos

A unidade curricular «Cultura Visual» visa iniciar os alunos nas problemáticas de um novo campo de estudos que reconhece a permanente interpelação da experiência visual como uma das principais questões críticas da contemporaneidade. Com esse propósito, pretende abordar o modo como a cultura visual se familiarizou com o fenómeno fotográfico, com a sua reprodutibilidade e suposta transparência dos seus ecrãs, ao mesmo tempo que este vinha corresponder a práticas de uma cultura visual anterior fascinada pelos efeitos ópticos e pelo ilusionismo.
A unidade curricular trará aos alunos uma visão crítica na análise das imagens, dos aparelhos e dos suportes com os quais estas se vincularam, assim como com as suas diferentes mediações institucionais, permitindo-lhes estabelecer ligações e antecedentes para os desafios contemporâneos da cultura visual.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Trata-se de apreender:
a) Os processo de hipervisualização que circundam e envolvem a totalidade do real;
b) A lógica de evolução de máquinas e dispositivos ópticos e a sua convergência digital;
c) O investimento da percepção pela ciência e a técnica;
c) Os procedimentos de captura e domesticação da visão, nomeadamente da dialéctica entre atenção e distracção.
d) As maneiras de interromper e reafectar os processos de controlo da visão

Metodologias de ensino e avaliação

A avaliação desta unidade curricular (u.c.) é contínua e estrutura-se do seguinte modo: apresentação oral de um tema indicado neste programa (40%: grupos de dois alunos); 1 frequência (60% cada).2. O incumprimento das apresentações na data calendarizada no início do semestre impossibilita a sua realização em aulas seguintes (nos casos de justificação válida, será indicado outro texto ao grupo);3. A u.c., por ser teórico-prática, não tem avaliação por exame em 1ª época, e o exame de recurso consistirá na realização de uma prova escrita com o mesmo formato que a frequência da avaliação contínua. Ficam aprovados todos os alunos que tiverem nota mínima final de 10 valores. Apresentação oral dos temas: metodologia recomendadaOs temas do programa indicados para apresentação são os sugeridos por três textos publicados no Dicionário Crítico de Arte, Imagem, Linguagem e Cultura in www.arte-coa.pt: «Espectador», «Imagem e Magia» e «Construção social das imagens».

Bibliografia principal

BOURDIEU, Pierre (org.)(1965), Un art moyen. Essai sur les usages sociaux de la photographie, Paris, Les Éditions de Minuit.
CRARY, Jonathan (1992), Techniques of the Observer. On Vision and Modernity in the Nineteenth Century, Massachussets, The MIT Press.
ELKINS, James (2003), Visual Studies. A Skeptical Introduction, Nova Iorque e Londres, Routledge.
FOUCAULT, Michel(1975), Surveiller et punir. Naissance de la prision, Paris, Gallimard.
JAY, Martin (1988), «Scopic Regimes of Modernity» in Hal Foster (ed.) Vision and Visuality, Nova Iorque, Dia Art Foundation/The New Press.
MIRZOEFF, Nicholas (ed.)(2002), The Visual Culture Reader, Londres, Routledge.
MITCHELL, William J. T. (2002) ¿Showing Seeing: a critique of visual culture¿ in Journal of Visual Culture, pp. 1 - 65.
TAGG, John (1988), The Burden of Representation. Essays on Photographies and Histories, Minneapolis, University of Minnesota Press, 1993.