Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Seminário de Investigação e Intervenção em Serviço Social II

Curso

Serviço Social

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

3 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

125 | 45

Código

ULHT119-7273

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

I - A Intervenção em SS
1- Estrutura básica do método de intervenção
1.1- Aprofundamento de algumas fases da intervenção Directa
1.2- Instrumentos privilegiados na intervenção
Entrevista de diagnóstico
Entrevista de ajuda
Dinâmicas de grupo (técnicas e habilidades)
2 - Modelos de Intervenção
2.1.Principais teorias em SS: sistémicas, psicossociais e críticas
2.2.Conceito de modelos de intervenção
2.3.Principais variáveis a ter em conta na eleição de um modelo de intervenção
2.4.Modelos de intervenção
Os modelos sistémicos, ecológico e em rede
Os modelos psicossociais
O SS Critico, diferentes perspectivas e modelos
II -A Investigação em SS
3 -Aprofundamento de Métodos e Técnicas de Investigação
3.1-Metodologia qualitativa e principais técnicas
3. 2-Metodologia quantitativa e principais técnicas
3.3.A Dialética qualitativo/quantitativo na investigação nas Ciências Sociais e no SS
4 - Principais alterações societais e o SS

Objetivos

- Identificar e/ou aprofundar modelos de intervenção em Serviço Social;
- Aprofundar as estratégias, os métodos e as técnicas de investigação e intervenção;
- Perspectivar de uma forma crítica os modelos convencionais do Serviço Social;
- Problematizar as orientações da política social face às tendências, no contexto da organização/local de estágio, nacional e europeu;
- Promover conhecimentos para a compreensão, operacionalização, monitorização e avaliação dos projectos de estágio.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

- Capacidade de identificar e operacionalizar modelos;
- Capacidade de acção estratégica, teórico - metodologicamente situada;
- Capacidade de integrar conhecimentos teórico-metodológicos adquiridos com vista à sistematização da experiência;
- Capacidade de auto crítica e auto conhecimento em relação com a experiência de estágio;
- Capacidade de reflexão crítica das políticas em geral e das medidas de políticas específicas do local de estágio;
- Capacidade de utilizar instrumentos de avaliação e proceder à avaliação;
- Capacidade de consciencializar atitudes e valores ético-políticos.

Metodologias de ensino e avaliação

A avaliação é contínua, verificando-se a existência de momentos fortes para a tradução quantitativa da avaliação, em que se recorre a instrumentos com as seguintes ponderações:
Exercício escrito individual em sala de aula: 3 ECTS; 40%.
Apresentações orais: 1,5 ECTS; 20%
Trabalho escrito sobre um ponto do programa: 1,5 ECTS; 20%
Participação qualitativa: 1,5 ECTS; 20%.
Total 7,5 ECTS 100% (20 Valores)

Bibliografia principal

ADAMS, R. (2003). Social Work and Empowerment. Hampshire e New York: Palgrave Macmillan
ADAMS, R. et al (2005). Social Work Future, Crossing Boundaries, Transforming Practice: Palgrave Macmillan
CAPARRÓS, Mª J. (1998). Modelos de Trabajo Social, Alicante : Aguaclara
DOMINELLI, L. (2007). Social Work, Theory And Practice for a Changing Profession. Cambrigde: Polity press.
FLICK, U., (2005). Métodos Qualitativos na Investigação Cientifica, Lisboa: Monitor
FOOK, J. (2003). Social Work, Critical Theory and Practice. London: Sage.
IAMAMOTO, M. (2010). Serviço Social em tempo de capital fetiche, São Paulo: Cortez.
PARTON N. e O'BYRNE, P. (2000). Construtive Social Work, towards a new practice: Palgrave Macmillan.
ROBERTIS, C. de (1994). Le contrat en travail social : fondements éthiques et opérationnalité, Service Social: École de Service Social, Laval, Vol. 43 (3), pp. 139-152.
VISCARRET G., J. (2007). Modelos y Metodos de Intervención en Trabajo Social. Madrid: Alianza Editora