Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Sociologia da Comunicação e do Consumo

Curso

Sociologia

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

3 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

133 | 47

Código

ULHT45-16974

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

O programa é abrangente porque abraça desde a emergência da comunicação até à manipulação da comunicação na actualidade. Nesta matéria é importante destacar-se a ética e a ideologia. Em síntese, divide-se em 4 grandes capítulos que se passam a indicar: I - A sociedade e a emergência da comunicação - Comunicação - Símbolos, signos e linguagem - Do emissor ao efeito II - Meios de comunicação - Sociedade e a criação de meios de comunicação - Tecnologias da comunicação - A construção da informação: uso e abuso - Espectadores e participantes. III - Comunicação e informação - Ética na/da comunicação - Comunicação, ética e ideologia - Comunicação e controlo da informação - Informação e desinformação - Manipulação e intoxicação IV - Modelos de Comunicação - Fórmula de Lasswell - Modelos de Shannon e Weaver - Modelo circular de Osgood e Schramm - Modelo helicoidal de Dance - Modelo de Gerbner - Modelo Newcomb - Modelo conceptual de Westley e MacLean

Objetivos

Este programa disciplinar foi construído, dentro do âmbito da sociologia, tendo em atenção dois grandes objectivos: em primeiro lugar, estudar a emergência da comunicação, da necessidade, interesse e utilidade que se materializa na construção de vários signos que fazem parte da(s) sociedade(s); e, em segundo lugar, possibilitar o entendimento - dando instrumentos de estudo e modelos - sobre a sua eficácia, com as várias estratégias - aquisição de meios e de técnicas - tendo em atenção os interesses específicos e globais que se colocam dentro de uma sociedade globalizada, sobretudo na área da informação. Faz parte do senso comum que - em alguns casos devemos aceitar como matéria empírica, por um lado, os média estão sujeitos a meios de comunicação restritos que relativizam as liberdades e não possibilitam uma informação detentora da verdade e, por outro lado, que a comunicação dessa informação apresenta uma utilidade que ultrapassa o que é discutido no próprio senso comum.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

As competências a adquirir centram-se: 1 - Identificar o processo de construção da comunicação social da diversidade de signos à linguagem e da sua importância no desenvolvimento social; 2 - Capacidade para articular a emergência da tecnologia, como primado do social, aos efeitos úteis e perversos da comunicação; 3 - Desenvolvimento da capacidade crítica sobre o controlo da informação e da necessidade da ética; 4 - Competência para aplicar os modelos de comunicação no sentido de entender a informação; 5 - Desenvolvimento de competências para a estruturação de trabalhos empíricos teoricamente orientados no âmbito da sociologia da comunicação.

Metodologias de ensino e avaliação

Utiliza-se o processo de avaliação contínua em que se requer a assiduidade e a participação dos alunos. Nesta participação cria-se o interesse pela matéria, no sentido de existir uma dinâmica positiva. Na avaliação contínua inclui-se: a classificação obtida na apresentação oral dos trabalhos que devem ter um abstract (preparação para sínteses futuras), o guião de apresentação (avaliação da capacidade de sistematização, da lógica e da coerência) e o interesse que teve a apresentação para motivar o debate (forma expositiva); um relatório sobre uma visita de estudo (desenvolver a capacidade de observação e de análise); um trabalho final que poderá ter por base os conteúdos da apresentação e os adquiridos na aprendizagem (competência teórico-analítica); e, a participação nos debates suscitados durante as aulas (atenção e empenhamento). Os alunos que não entrarem no processo de avaliação contínua ou que não tiverem nota de passagem entram no sistema de exames.

Bibliografia principal

- Cardoso, Gustavo e al (2009). Da Comunicação de Massa à Comunicação em Rede. Porto: Porto Editora.
- Castells, Manuel (2007). A Galáxia Internet. Reflexões sobre Internet, Negócios e Sociedade. Lisboa: Fundação C. Gulbenkian.
___ (2007). A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. A Sociedade em Rede. Vol. I, II, III. Lisboa: Fundação C. Gulbenkian.
- Esteves, João Pissarra (2007). A Ética da Comunicação e os Media Modernos. Lisboa: Fundação C. Gulbenkian.
- Guareschi, P. e al (2000). Os construtores de comunicação. Meios de comunicação. Ideologia e ética. Petrópolis: Vozes.
- Gubern, Román (2001). O Eros Electrónico. Viagem pelos sistemas de representação e do desejo. Lisboa: Editorial Notícias.
- McQuail, Denis (2003). Teoria da Comunicação de Massas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
- Volkoff, Vladimir (2000). Pequena História da Desinformação. Do cavalo de Tróia à Internet. Lisboa: Editorial Notícias