Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Teorias Sociológicas Contemporâneas

Curso

Sociologia

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

133 | 47

Código

ULHT45-16965

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

A Imprescindibilidade das teorias e articulações teóricas para o trabalho científico. Na Escola de Chicago, constam autores como: Robert E. Park, Ernest Burgess e Louis Wirth. No Interaccionismo simbólico Erving Goffman. No Funcionalismo abordar-se-á a teoria e a empiria e o controlo social em Robert Merton. O Estruturo-funcionalismo centra-se em Talcott Parsons, na teoria geral da acção social. Iniciam-se as propostas teóricas mais recentes com a teoria configuracional de Norbert Elias, e na Escola de Frankfurt com Jurgen Habermas, em particular a acção comunicativa e o mundo da vida, e Theodor W. Adorno, com a cultura de massas. Na Teoria do conflito a referência teórica assenta em Louis Coser, com as funções do conflito; e, em Ralf Dahrendorf com a articulação entre coesão social e liberdade política. Em França, Alain Touraine e os movimentos sociais. a modernização reflexiva e a sociedade de risco em Anthony Giddens e Ulrich Beck.

Objetivos

Os objectivos da unidade curricular centram-se na compreensão das propostas teóricas de autores contemporâneos ¿ definição e articulação de conceitos, noções, categorias e respectivos trabalhos científicos ¿ no sentido de possibilitar instrumentos teóricos para a análise sociológica. A aquisição da instrumentalização teórica é realizada de modo sistemático, tendo em atenção as grandes correntes onde os autores se inserem, possibilitando um conhecimento adequado para o trabalho teórico e para as investigações empíricas futuras. Os grandes objectivos são:i) Compreensão sobre a emergência e a imprescindibilidade da utilidade das teorias na análise sociológica; ii) Análise dos grandes campos estruturantes da Sociologia contemporânea e das respectivas teorias inseridas no programa; iii) Preparação do raciocínio analítico, fundamentadamente teórico; iv) Desenvolvimento do raciocínio sociológico, com o máximo de rigor assertório, para aplicação na compreensão dos problemas da sociedade.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Pretende-se, a partir da preparação teórica ¿ onde, complementarmente, se situam vários exemplos ¿ criar competências em vários domínios:
i) No domínio do conhecimento teórico e das problematizações sociológicas;
ii) Capacidade de reflexão sociológica (imaginação sociológica) a partir dos autores e dos conceitos apreendidos;
iii) Capacidade na análise crítica sobre a sociedade contemporânea;
iv) Competências instrumentais para investigação da sociedade, de acordo com a identificação dos ¿problemas sociológicos¿;
v) Competências para o encontro da reflexão subordinada ao exercício da cidadania dentro das teorias estudadas.

Metodologias de ensino e avaliação

Utiliza-se a metodologia de avaliação contínua em que os alunos desenvolvem um trabalho de problematização com a análise crítica das teorias e respectivos autores, requerendo-se para o efeito participação e pesquisa. Assim, pretende-se criar o interesse pela matéria, no sentido de existir uma dinâmica positiva. Na avaliação contínua inclui-se: i) trabalho final de dissertação teórica (50%); ii) apresentação oral dos trabalhos com abstract e respectivo guião de apresentação (45%); iii) participação nos debates suscitados durante as aulas (5%).
Os alunos que não realizarem a avaliação contínua ou obtenham uma avaliação inferior a 10 valores, transitam para exame.

Bibliografia principal

[1] Beck, U (2015). Sociedade de risco mundial. Lisboa: Edições 70.
[2] Beck, U.; Gidens, A. & Lash, S. (2000). Modernização Reflexiva. Oeiras: Celta.
[3] Ferreira, J. et al. (1995). Sociologia. Alfragide: Editora McGraw-Hill de Portugal.
[4] Goffman, E. (1988). Estigma. Rio de Janeiro: Guanabara.
[5] Giddens, A. (2000). Sociologia. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
[6] Merton, R. K. (1968). Sociologia. Teoria e Estrutura. São Paulo: Editora Mestre Jou.
[7] Parsons, T. (1969). Sociedades. São Paulo: L. Pioneira Editora.
[8] Tar, Z. (s/d). A Escola de Francoforte. Lisboa: Edições 70.
[9] Touraine, A. (1996). O Retorno do Actor. Ensaio de Sociologia. Lisboa: Instituto Piaget.
[10] Turner, B. (2002). Teoria Social. Miraflores: Difel.