Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Farmacoterapia de Não-Prescrição

Disciplina do Curso

Ciências Farmacêuticas

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Trimestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

4 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

0 | 0

Código

ULHT477-4714

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Conceitos gerais
1.1 Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica-Definição e Conceitos.
1.2 Enquadramento Legal.
1.3 Contexto Nacional e Internacional.
1.4 Análise e Evolução do Mercado de MNSRM.

Unidade 2
Automedicação e Indicação Farmacêutica
2.1 Responsabilidade e funções do Farmacêutico.
2.2 MNSRM disponíveis em Portugal.
2.3 Situações passíveis de indicação farmacêutica.


Unidade 3
Indicação Farmacêutica
3.1 Entrevista ao utente.
3.2 Intervenção farmacêutica.
3.3 Avaliação dos resultados clínicos.


Unidade 4
Elaboração de protocolos de intervenção Farmacêutica

Unidade 5
Indicação Farmacêutica nas seguintes situações:
5.1 Dor e febre.
5.2 Patologias das vias aéreas superiores.
5.3 Patologias do aparelho digestivo.
5.4 Patologias dermatológicas.
5.5 Patologias oftálmicas.
5.6 Contraceção de emergência .
5.7 Farmácia do viajante.

Unidade 6
Terapêutica de Não Prescrição em grupos especiais

Objetivos

Esta unidade curricular tem como âmbito a indicação farmacêutica, ¿acto profissional pelo qual o farmacêutico se responsabiliza pela seleção de um medicamento não sujeito a receita médica e/ou indicação de medidas não farmacológicas, com o objetivo de aliviar ou resolver um problema de saúde considerado como um transtorno menor ou sintoma menor, entendido como problema de saúde de caráter não grave, autolimitado, de curta duração, que não apresente relação com manifestações clínicas de outros problemas de saúde do doente.¿(in Boas Práticas de Farmácia, 2009). Neste sentido são abordados os quadros sintomáticos passíveis de indicação farmacêutica assim como as opções terapêuticas disponíveis, no contexto do seu uso racional.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Aquisição de conhecimentos e desenvolvimento das competências necessárias para prestar um serviço farmacêutico de qualidade no âmbito da indicação farmacêutica, promovendo a segurança e eficácia, quer ao nível do aconselhamento e dispensa de medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM), quer no acompanhamento e avaliação do seu uso.

Metodologias de ensino e avaliação

Aulas T:magistrais respeitando os objetivos da UC. São hierarquizados os aspetos mais relevantes de cada tema: sinais e sintomas dos problemas de saúde, a sua terapêutica farmacológica e não farmacológica; promovendo o espírito crítico na análise e intervenção farmacêutica.
Aulas TP: tutoradas, que complementam os conteúdos ministrados nas aulas teóricas.
Os alunos elaboram protocolos de indicação farmacêutica para dar resposta aos casos práticos apresentados, recorrendo a "role play", simulando o contexto real.
Avaliação contínua:
A nota final resulta da média ponderada de:
Duas frequências (25% cada).
Resolução de exercícios e casos prácticos-20%.
Resolução e apresentação de caso prático-30%.
Nota média de 9,5V nas médias ponderadas dos vários elementos de avaliação.
Regime de exame
Exame escrito englobando a totalidade do programa. A aprovação na UC requer uma classificação mínima de 9,5 valores
Melhoria, prova de avaliação oral, englobando totalidade do programa

Bibliografia principal

- Soares, M. A. (2002). Medicamentos Não Prescritos. Aconselhamento Farmacêutico, 2ª edição, Publicações Farmácia Portuguesa, 2002, Lisboa.
- Nathan A. (2010) Non-prescription Medicine. Fourth edition. Pharmaceutical Press.
- APhA - Handbook of Non Prescription Drugs, Washington.
- PRAY, W. S - Non Prescription Product Therapeutics, Philadelphia, Lippincott Williams & Wilkins. 2006.
- Krinsky, D.L.., Berardi, R.R., (2011). Handbook of Nonprescription Drugs: An Interactive Approach to Self-Care. American Pharmacists Association.
- Winfield, A.J., Richards, R.M.E., (2009) Pharmaceutical Practice. (4ed). Churchill Livinsgtone.
- Souto, C., Administração de Medicamentos. Aspectos Práticos, Publicações Farmácia Portuguesa, Lisboa.