Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Química Orgânica I

Disciplina do Curso

Ciências Farmacêuticas

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

125 | 75

Código

ULHT477-1914

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

INTRODUÇÃO: Estrutura/ligação/reatividade, grupos funcionais.
ESTEREOQUÍMICA: Isomerismo; Classificação cis/trans e E/Z; Quiralidade; Enantiomeros; Diastereoisómeros; Configuração absoluta R/S; Atividade ótica; Compostos meso; Serie D e L; Projeções de Fischer; Resolução de enantiómeros.
REAÇÕES: Substituição/Eliminação/Adição/Rearranjo; Rutura de ligações covalentes: Quebra homolítica e heterolitica; Nucleófilos; eletrófilos; Carbocatiões; Radicais; Carbaniões; efeito de substituinte; Acidez e basicidade.
ALCANOS E CICLOALCANOS: (Estrutura/propriedades/nomenclatura; Análise conformacional; Reações radicalares; Combustão); Projecções em Cavalete/Newman;
HALOALCANOS:(Estrutura;propriedades;nomenclatura; SN1/SN2/E1/E2;; Redução com hidretos);
GRUPO FUNCIONAL HIDRÓXILO: (estrutura, propriedades, nomenclatura; Síntese; Compostos organometálicos; Reações com: bases/ácidos fortes; Rearranjos de carbocatiões; Síntese de ésteres e haloalcanos); Retrossíntese; Análise estrutural (RMN; IV; UV).

Objetivos

O objetivo desta unidade curricular é fornecer aos alunos conceitos fundamentais em Química Orgânica, em particular na área da saúde. Pretende-se fornecer as competências necessárias para a compreensão: a) da estereoquímica, estrutura, e estabilidade químicas; b) da natureza e reatividade de diferentes classes de compostos orgânicos, c) da formação de ligações C-C, C-X, C-OH e C=C.
Nas aulas tutoriais serão realizados trabalhos práticos adaptados à componente magistral, de modo a: Aplicar as reações estudadas mais representativas e a iniciar o aluno para a realização de técnicas experimentais em Química orgânica, bem como para com os cuidados a ter na sua execução.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Aquisição de noções sólidas de reatividade e aquisição das competências necessárias para a elaboração dos mecanismos associados às reações envolvidas nas diferentes classes de compostos lecionadas.
Compreensão da importância da área da síntese orgânica, aquisição de capacidades de manuseamento mínimo das interconversões de grupos funcionais e compreensão da relevância deste tema na área da saúde.
Desenvolvimento das capacidades fundamentais para a realização de reações em laboratório.
Compreensão dos motivos associados à realização de certos procedimentos práticos na execução das reações, do tratamento dos meios reacionais, e do isolamento e purificação de compostos orgânicos

Metodologias de ensino e avaliação

O ensino inclui diversos instrumentos, baseados no ensino presencial magistral/tutorial e noutras ferramentas de caracter não-presencial (e.g. moodle). Na componente tutorial são aprofundados conceitos fundamentais do programa com a execução de reações representativas, com a aprendizagem das técnicas experimentais basilares usadas em Química Orgânica e da resolução de problemas pré-anunciados. A avaliação é efetuada por avaliação contínua ou por exame final. A avaliação contínua engloba: (A) Assiduidade (5%); (B) 2 frequências escritas (70%); (C) Desempenho nas aulas/realização de exercícios, apresentações, relatórios e caderno (25%). Nota Final=A(5%)+B(70%)+C(25%). O aluno trabalhador estudante que opte pela avaliação contínua deve cumprir os requisitos acima definidos. A avaliação por exame final abrange a totalidade do programa (exames escrito e laboratorial). A melhoria de nota realiza-se na forma de exame oral reunindo a totalidade do programa.

Bibliografia principal

1. Vollhardt, K. P. C., Schore, N. E., (2014). Organic Chemistry: structure and function, 7th ed., W. H. Freeman.
2. Solomons, T. W. G., Fryhle C. B., Snyder, S.A. (2013). Organic chemistry, (11th Ed.), Wiley.
3. Becker, H. et al., (1997). Organikum - Química Orgânica Experimental, tradução de A. P. Rauter e B. Herold (2ª Ed.). Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, Portugal.
4. Powel, H. P., Richer, J.-C., (2010). Guia IUPAC para a nomenclatura de compostos orgânicos, Tradução portuguesa nas variantes brasileira e europeia por Amélia Pilar Rauter et al., International Union of Pure and Applied Chemistry, Sociedade Portuguesa de Química, Lidel, Lisboa, Portugal.