Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Introdução à Teoria e História da Arquitetura I

Curso

Arquitetura

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Semestral | 3

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

84 | 45

Código

ULHT36-14612

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. As definições do campo disciplinar da arquitectura.
1.1. Arquitectura. A arquitectura como disciplina. A autonomia e autoria do objecto, a actividade do projecto e a profissão do arquitecto.
1.2. Cidade. A cidade como cultura. O horizonte da arquitectura, a estrutura da sociedade e os processos de sedimentação temporal.
1.3. Território. O território como estrutura. A lógica infraestrutural, as dinâmicas da mobilidade e a construção da paisagem.
2. As metodologias da compreensão disciplinar em arquitectura.
2.1. História. As metodologias da história. A continuidade do tempo, a consciência dinâmica da temporalidade e a presença do passado.
2.2. Teoria. As estratégias da teoria. A configuração conceptual do espaço, o estabelecimento de regras e modelos e o teste prático da realidade.
2.3. Estética. As dimensões da estética. A experiência do espaço, a abordagem fenomenológica e a acção da subjectividade.

Objetivos

A unidade curricular de Introdução à Teoria e História da Arquitectura I apresenta-se como uma primeira abordagem às fundações disciplinares da arquitectura. Neste sentido, procura-se estabelecer uma base fundamental que estruturará todo o percurso posterior pela História e Teoria da arquitectura. Primeiro, petende-se que os discentes se familiarizem com as múltiplas definições do campo disciplinar da arquitectura: Arquitectura, Cidade e Território. Segundo, procura-se que os discentes sejam introduzidos nas metodologias canónicas de compreensão e análise da arquitectura e da cidade: História, Teoria e Estética. No final da unidade curricular, os discentes deverão estar habilitados a perceber a pluralidade de definições de arquitectura, bem como a distinguir as diferentes metodologias de investigação disciplinar.


Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Esta unidade curricular proporciona uma estruturação de base do campo disciplinar da arquitectura, cidade e território, nas suas vertentes teóricas, históricas e estéticas. Pressupõe por isso, por um lado, uma compreensão das diferentes definições de Arquitectura, Cidade e Território, por outro lado, uma compreensão das diferentes metodologias da História, Teoria e Estética. Para isso exige um conhecimento de bibliografia de base obrigatória, um primeiro desenvolvimento de análise crítica de teorias e práticas espaciais e uma capacidade inicial de relacionar conteúdos interdisciplinares. Neste sentido, os discentes serão estimulados no sentido do desenvolvimento de autonomia crítica nas temáticas abordadas. Finalmente, os conhecimentos basilares adquiridos nesta unidade curricular devem ter reflexos operativos na área de projecto, através da aquisição progressiva de instrumentos discursivos e críticos.

Metodologias de ensino e avaliação

As aulas serão constituídas principalmente por três vertentes complementares. Por um lado, serão efectuadas sessões expositivas pelo docente das temáticas da unidade curricular, devidamente acompanhadas por material audiovisual. Por outro lado, serão realizadas leituras de textos fundamentais com os discentes das temáticas em estudo, de forma a promover o debate crítico colectivo. Finalmente, o desenvolvimento dos trabalhos dos discentes será acompanhado ao longo do semestre.
A avaliação desta unidade curricular é composta por três vertentes: 1. Trabalho escrito individual de enunciação pessoal e sequencial das definições de Arquitectura, Cidade e Território e das metodologias da História, Teoria e Estética, leccionadas no programa (40%); 2. Recensão crítica individual ou em grupo de um texto fundamental do programa da unidade curricular, com apresentação em aula (40%). 3. Assiduidade e Participação (20%).

Bibliografia principal

- AAVV (2003). Teoria da Arquitectura do Renascimento aos Nossos Dias. Koln: Taschen.
- Benévolo, L. (1997). Histoire de la Ville. Marseille: Parenthèses. UR/338-BC
- Choay, F. (1985). A Regra e o Modelo. São Paulo: Perspectiva. UR/140-BC
- Kruft, H.-W. (1994). Architectural Theory from Vitruvius to the Present. New York: Princeton Architectural Press.
- Leach, A. (2010). What is Architectural History?. London: Polity Press.
-Mallgrave, H. F. (2009). Modern Architectural Theory: A HIstorical Survey, 1673-1968. Cambridge University Press.
- Norberg-Schulz, C. (1983). Arquitectura Occidental. Barcelona: Gustavo Gili.
- Patetta, L. (1997). Historia de la Arquitectura: Antologia Crítica. Madrid: Celeste Ediciones.
- Rodrigues, M. J. M. (2002). O que é Arquitectura. Coimbra: Quimera.
-Tournikiotis, P. (2001). The Historiography of Modern Architecture. Cambridge-Massachusetts: The MIT Press.
- Scruton, R. (1983). Estética da Arquitectura. Lisboa: Edições 70. AQ/21-BC