Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Processos Digitais III

Curso

Arquitetura

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Semestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

112 | 60

Código

ULHT36-14615

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Nesta unidade curricular são desenvolvidos processos generativos de apoio ao projecto. O termo ¿generativo¿ implica a aplicação de princípios de geração da forma, nomeadamente ferramentas e processos digitais de form-finding. Será utilizado o software de programação visual grasshopper, mas a lógica desenvolvida poderia ser implementadas noutras plataformas e linguagens de programação. O design generativo é entendido como processo de investigação recorrendo a regras e procedimentos recursivos que codificam intenções de projeto. É estimulada a aplicação crítica e a reflexão de abordagens metodológicas generativas. Pretende desenvolver a computação com desenho associativo e paramétrico, traduzindo processos e raciocínios criativos. Os conteúdos desta unidade decorrem de PDII onde são introduzidas as bases da integração de ferramentas e processos digitais CAD-CAE-CAM, na modelação tridimensional.

Objetivos

A disciplina apresenta a computação associada ao projecto arquitectónico como meio que permite aos arquitectos conceberem projectos sem estarem dependentes, por completo, de softwares comerciais. O objectivo é conceber instrumentos e processos computacionais específicos que auxiliem a concepção de projecto para controlar a crescente complexidade contemporânea.
Objectivos específicos:
¿ Dotar de ferramentas inovadoras para a concepção, com base nas mais recentes técnicas computacionais aplicadas ao projeto.
¿ Estabelecer bases teóricas que habilitem o desenvolvimento centrado em estratégias contemporâneas de projeto. Nomeadamente a geração de lógicas de sistemas emergentes e novos paradigmas digitais. ¿Estudar sistemas paramétricos desenvolvendo processos de análise e controlo criativos.
¿ Fomentar a pesquisa, exploração e investigação de metodologias de processos de design generativo.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Conhecimentos sobre manipulação, transformação e tradução de dados, algoritmos, geometria computacional, interacção factor humano-computacional, construção de ferramentas digitais personalizadas, sistemas generativos de form-finding, e noções de design performativo através do uso da computação. Usando linguagens de programação (VPL), os alunos desenvolverão um conjunto de ferramentas e modelos computacionais através dos exercícios-projectos propostos ao longo do semestre.
¿ Processos indutivos de adaptação: form finds function;
¿ Ferramentas digitais em arquitectura: algoritmos gráficos, mesh modeleres, linguagens de programação orientadas a objectos e geometrias;
¿ introdução a outros programas e processos generativos ou linguagens de script.


Metodologias de ensino e avaliação

Metodologia focada no desenvolvimento processos computacionais generativos aplicados em projecto. Implica desenvolver investigação aplicando conhecimentos adquiridos na resolução de projecto.
Dois exercícios, acompanhados de relatório sobre processo e metodologia utilizados. Exercício 1: 35%; exercício 2: 35%; relatório e apresentação trabalho: 30% (15+15). Entrega preferencialmente através do MOODLE com apresentação à turma, componente eminentemente prático, mas com desenvolvimento teórico. Presenças inferior a 75% inviabiliza aproveitamento em regime Avaliação Contínua (não aplicável trabalhadores-estudantes). Só poderá apresentar-se a exame, não aprovando à disciplina, quem satisfaça as seguintes condições: mínimo 50% presenças e entrega de um trabalho no semestre. Exame conduzido por Júri com docentes Unidade Curricular e regente. Será objecto exame conteúdos teóricos, além de exercício prático. Todos demais procedimentos ao abrigo RSAC e RG

Bibliografia principal

.Bibliografia obrigatória
? Terzidis, Kostas, Algorithmic Architecture, Expressive Form, Spon Press, Taylor & Francis Group, 2003.
? Ball, Philip. (2009) Nature's patterns : a tapestry in three parts : flow, shapes, branches. Oxford: Oxford University Press. Cota: AQ/396.A-BC
? Pearce, Peter. (1990). Structure in Nature is a Strategy for Design. Cambridge MA : MIT Press. Cota: AQ/410-BC
Bibliografia contexto
? Hensel, Michael. (2006) ¿Material and Digital Design Synthesis¿, in M. Hensel, A. Menges, M. Weinstock, eds, Techniques and Technologies in Morphogenetic Design. London: Architectural Design.
Cota: Encomendado
? DeLanda, Manuel. (1992) ¿Nonorganic Life¿ in Kwinter, Sanford and Crary, Jonathan eds, Incorporations. NY: Zone Books.
Cota: Encomendado
¿ Mitchell, William, A Lógica da Arquitetura. Projeto computação e cognição, tradução de Gabriela Celani, Editora UNICAMP-Universidade Estadual de Campinas, Brasil, 2008.
www.grasshopper3d.com