Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Teoria da Arquitetura I

Curso

Arquitetura

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Semestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

4 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

112 | 45

Código

ULHT36-7997

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

O discurso irá incidir nos textos teóricos que definem os princípios de concepção estética relacionada com arquitectura clássica baseada na escala do Homem. O tratado de Arquitectura de Vitrúvio publicado no Renascimento foi sempre a fonte para o desenvolvimento de todos os textos produzidos nessa época. Os Tratados que proliferaram nessa época, de Alberti a Paladio acentuam a consciência conceptual inerente à arquitectura baseados na análise exaustiva e interpretativa dos modelos clássicos. A divulgação da Tradadística italiana na Europa levou a aplicação de arquitectura clássica com novas leituras estéticas. A ¿cidade ideal¿ afirma a relação entre a arquitectura e o espaço urbano como expressão dos ideais sociais e filosóficos.
A temática irá abranger as reinterpretações da arquitectura clássica nos séculos seguintes e a suas perspectivas utópicas reafirmadas no século da Luzes onde se exaltou a sua essência como a raiz fundamental da arquitectura ocidental.

Objetivos

Esta disciplina tem como objectivo aprofundar os ideais teóricos que estiveram subjacentes à prática da arquitectura desde o Renascimento até ao Iluminismo. A contextualização da Arquitectura na História das Ideias irá contribuir para o melhor entendimento da Teoria e da sua relação com outras áreas do conhecimento. A evolução conceptual da arquitectura e das utopias contribui o entendimento das reflexões filosóficas que caracterizam cada época. A relação da arquitectura e o espaço urbano será um tema a desenvolver, incidindo no crescimento da cidade face ao poder da burguesia. A afirmação do arquitecto como artista individual acentua o significado da arquitectura na representação da civilização perpectuando a memória colectiva.
- O papel do arquitecto na construção do espaço urbano e arquitectónico.
- A Prática e a Teoria na formação do arquitecto: as Obras e as Academias.
- A Arquitectura como Arte e o conceito de Estética.
- A interdisciplinaridade da Arquitectura.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Como objectivos gerais pretende-se dotar os alunos de capacidades para:
-Discutir as ideias retratadas em tratados e outras produções teóricas.
- Entender a evolução dos conceitos estéticos que estão subjacentes à arquitectura inseridos em ideais políticos e filosóficos que acompanham o progresso civilizacional da sociedade.
- Entender a relação da arquitectura e o lugar, onde se reconhecem a componente teórica que permitirá a reflexão do papel do arquitecto na sociedade e na construção do espaço.
- Analisar uma obra através do conceito que lhe está subjacente.
- Conceber um projecto expresso na sua dimensão gráfica através do Universo teórico que o fundamenta.
Com a apresentação de trabalhos teóricos pretende-se que o aluno adquira métodos de investigação e de estruturação. O método de avaliação também irá incidir nestas premissas que serão ferramentas essenciais para o futuro desenvolvimento da tese de Mestrado.

Metodologias de ensino e avaliação

A disciplina será leccionada através de aulas teóricas que irão incidir na análise de textos teóricos, de manifestos, e de utopias que contenham conteúdos explícitos sobre conceitos arquitectónicos. As obras construídas também serão analisadas, aquelas que pela sua singularidade são ensaios de novas formas e linguagens estéticas.
A avaliação é realizada através de trabalhos a desenvolver durante o período das aulas e acompanhados pelo professor em aulas anunciadas. Serão apresentados dois trabalhos (individual e de grupo), como elementos de avaliação contínua com 75% de presenças segundo o regulamento do MIARQ.
O trabalho de grupo será apresentado em texto e oralmente, e corresponderá a 60% da avaliação contínua incidindo nesta percentagem a participação nas aulas (trabalho - 50% + participação -10%).
O trabalho individual será sobre um tema indicado pelo docente e corresponderá a 40%.
Nos exames, o trabalho de grupo será essencial para avaliação final.

Bibliografia principal

? Alberti, Leon Batista (2011). Da arte edificatória, trad. Arnaldo Monteiro do Espírito Santo. Lisboa: F. C. Gulbenkian.
Cota: AQ/418-BC
? Choay, Françoise (1980). A Regra e o Modelo: sobre a teoria da arquitectura e urbanismo. São Paulo: Ed. Perspectiva.
Cota: UR/140-BC
? Kostof, Spiro. (1999). The City Shaped, Urban Patterns and Meanings Through History. Boston: A Bulfinch Press Book Little, Brown and Company.
Cota: UR/122-BC
? Kostof, Spiro (2007). História de la Arquitectura. Madrid: Alianza Editorial.
Cota: AQ7224-BC
? Palladio, Andrea (1965). The Four Books of Architecture. New York: Dover Publications.
Cota: AQ/195-BC
? Rosenau, Helen, (1988). A Cidade Ideal, Evolução Arquitectónica na Europa. Lisboa: Editorial Presença.
Cota: AQ/141-BC
? Wiebenson, Dora (1988). Los tratados de Arquitectura. De Alberti a Ledoux, trad. Pilar Vazquez Alvarez. Madrid: Hermann Blume
Cota: AQ/ 91-BC
? Vitruvio. (2009). Tratado de Arquitectura, trad. M. J. Maciel. Lisboa: IST Pr