Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Inspeção Sanitária I

Curso

Medicina Veterinária

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura; Mestrado | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

5 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

140 | 75

Código

ULHT478-8548

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Papel do MVO. Legislação nacional e comunitária. Infra-estruturas e HACCP em matadouros. Bem-estar animal no transporte, descarga e encaminhamento. Inspecção ante-mortem e controlo documental. Operações e higiene no abate de ungulados. Bem-estar animal no abate. Procedimentos em abates especiais. Plano Nacional de controlo de resíduos. Metodologias de Inspeção post-mortem em ungulados. Decisão sanitária: alterações organolépticas e patológicas (vírus, parasitas, bactérias, priões). Enquadramento legal dos critérios de inspeção. Recursos. DDO. Subprodutos. Marcas de salubridade e identificação. Classificação de carcaças. Inspeção em Salas de Corte e Desossa. Rastreabilidade e rotulagem. Condições técnico-legais para a maturação, conservação e expedição de carnes.
Avaliação.

Objetivos

Com o decorrer da presente unidade curricular pretende-se que o aluno:
- Tome consciência da importância da Inspeção Sanitária, como competência do Médico Veterinário, e do seu papel na salvaguarda da Saúde Pública e do Bem-estar Animal.
- Adquira conhecimentos científicos, técnicos e legais que lhes permitam desempenhar funções como Veterinários Oficiais, responsáveis por promover o conceito ¿Saúde Animal, Humana e Ambiental: uma só saúde¿.
- Adquira ferramentas que lhe permitam desempenhar a sua actividade como Veterinários Oficiais de forma responsável, salvaguardando as normas éticas e deontológicas e visando a melhoria dos serviços prestados à comunidade.
- Estimular a aptidão para a pesquisa de informação numa perspectiva multidisciplinar e de permanente actualização dentro da sua área de actividade.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

- Conhecer a legislação aplicável.
- Adquirir competências para avaliar e salvaguardar o Bem-Estar.
- Estar familiarizado com as infra-estruturas e operações de abate de ungulados.
- Executar procedimentos de inspeção ante- e post-mortem de ungulados.
- Conhecer a etiologia e quadro lesional das doenças passiveis de representar perigo para o Homem.
- Saber tomar decisões sanitárias, salvaguardando saúde Humana.
- Assegurar a correta separação e encaminhamento de subprodutos.
- Conseguir avaliar a necessidade de medidas complementares de protecção da saúde das pessoas intervenientes no abate e à prevenção da contaminação das instalações.
- Controlar o funcionamento das instalações de abate e determinar do cumprimento dos requisitos exigidos em matéria de autocontrolo, HACCP e rastreabilidade. -Aprender a comunicar de forma eficaz e apropriada com os diferentes intervenientes. Desenvolver a capacidade de detecção de problemas e apresentar soluções de forma critica e construtiva

Metodologias de ensino e avaliação

Aulas teóricas, de frequência voluntária e aulas práticas tutoradas, de frequência a 2/3 obrigatória. A metodologia expositiva será usada para leccionar os conteúdos mais teóricos, e o método interrogativo, será empregue para estimular o envolvimento do aluno e contribuir para que este descubra os objectivos. Para estimular a responsabilidade e a autonomia do aluno, sempre que adequado, serão utilizadas uma combinação de diferentes técnicas pedagógicas (brainstorming, estudo e discussão de casos práticos, exercícios de aplicação de conhecimento). A avaliação prática é de carácter contínuo e tem um peso relativo de 50%, os alunos serão avaliados tendo em conta o grau de assiduidade, interesse e participação nas aulas, trabalhos de grupo e questionários individuais. A avaliação teórica incide sobre a totalidade da matéria ministrada, consistirá em um teste teórico com um peso relativo de 50% na classificação final da disciplina. A nota mínima exigida na teórica e na prática é de 9,5 val

Bibliografia principal

Gil, J. I. (2000). Manual de inspecção sanitária de carnes, volume II. 2ª edição.Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa;Gracey, J.F., Collins D.S., Huey, R.J. (2015). Meat hygiene (11th ed.) London; Edinburgh; New York; Philadelphia: W. B. Saunders Company;Vieira-Pinto, M.,et al (2003). Monografia SCS, Inspecção Sanitária de Suínos. 1ª edição.Sociedade Científica de Suinicultura. Lisboa;Regulamento (CE) n.º 852/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 29 de Abril de 2004 Estabelece regras gerais de higiene dos géneros alimentícios destinados aos Operadores de Empresas do Sector Alimentar;REGULAMENTO (ce) n.o 853/2004 do PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 29 de Abril de 2004. Estabelece regras específicas de higiene aplicáveis aos géneros alimentícios de origem animal;REGULAMENTO (CE) n.o 854/2004 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 29 de Abril de 2004. Estabelece regras específicas de organização dos controlos oficiais de produtos de origem animal destinados ao consumo humano