Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Didática das Actividades de Exploração da Natureza

Curso

Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário

Grau|Semestres|ECTS

Mestrado | Semestral | 4

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

100 | 37

Código

ULHT657-9698

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

As componentes organizacionais referentes as diferentes áreas das Atividades de Aventura.
A Estrutura e Dinâmica das atividades de carácter pontual e das atividades de carácter regular.
A Observação das Atividades. A Gestão do Tempo. Os Comportamentos de Ensino e Aprendizagem. A Gestão do Risco em Atividades de Exploração da Natureza. O Processo de Avaliação.
A Prática no âmbito das Atividades de aventura: Observações em escolas, empresas e/ ou em clubes de atividades de aventura com atividades regulares nesta área.
Conceitos fundamentais na Gestão de Programas de Atividades de Aventura e Atividades Físicas de Exploração da Natureza em contexto Escolar.
A Intervenção do Gestor de Atividades de Exploração da Natureza na Escola. Análise dos Processos e Práticas de Avaliação de Atividades.
Realização de Atividades em contexto Escolar.

Objetivos

- Conceber e realizar planos de observação de análise das situações de aprendizagem: caracterizar, observar, registar e interpretar atividades no âmbito das Atividades Físicas de Exploração da Natureza.
- Conceber, planear, elaborar e enquadrar num ambiente seguro, propostas de atividades no âmbito das Atividades Físicas de Exploração da Natureza, em contexto de dinamização de espaço escolar e extraescolar, promovendo uma
prática segura através da aplicação de estratégias conducentes à prevenção e gestão de incidentes e/ou acidentes.
- Realizar tarefas de monitor de atividades: acompanhar e apoiar pedagogicamente situações no terreno das Atividades de Aventura, realizando tarefas operacionais em pequenos grupos.
- Utilizar as tecnologias como forma de suporte ao planeamento e concepção de materiais.
- Realizar autoscopia e análise de desempenho em situações de ensino.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

- Conceber e realizar planos de observação de análise das situações de aprendizagem: caracterizar, observar, registar e interpretar atividades no âmbito das Atividades Físicas de Exploração da Natureza.
- Conceber, planear, elaborar e enquadrar num ambiente seguro, propostas de atividades no âmbito das Atividades Físicas de Exploração da Natureza, em contexto de dinamização de espaço escolar e extraescolar, promovendo uma
prática segura através da aplicação de estratégias conducentes à prevenção e gestão de incidentes e/ou acidentes.
- Realizar tarefas de monitor de atividades: acompanhar e apoiar pedagogicamente situações no terreno das Atividades de Aventura, realizando tarefas operacionais em pequenos grupos.
- Utilizar as tecnologias como forma de suporte ao planeamento e concepção de materiais.
- Realizar autoscopia e análise de desempenho em situações de ensino.

Metodologias de ensino e avaliação

1. Sessões teóricas com recurso ao método expositivo - introdução, informação e análise dos temas relativos ao programa da cadeira. Indicação de pistas de estudo e elementos bibliográficos.
2. Sessões teórico-práticas documentadas com casos práticos e apoio de diversos materiais onde se analisam as diversas áreas das AEN e os diferentes tipos de atividades.
3. Sessões práticas. Trabalho de grupo para preparar o trabalho de campo.
4. Trabalho de campo. Duas atividades, em que os alunos observam os aspetos gerais de organização e de dinâmica específica de cada atividade e realizam tarefas de monitor em pequenos grupos. Uma atividade, em que toda a organização e apoio pedagógico no terreno são assegurados pelos alunos da cadeira de DAEN.
Em avaliação contínua, são elaborados e apresentados em grupo três relatórios correspondentes a cada atividade do trabalho de campo e é realizada uma frequência individual.

Bibliografia principal

Addision, G. (2000), Whitewater Rafting. The Essential Guide to Equipment and Techniques. London: New Holland Publishers Ltd.
Almeida, C. (1999), Contributos para a compreensão dos "desportos radicais". Revista Ludens, 16 (1), 53-63.
Beames, S., Atencio, M. & Ross, H. (2009) Taking Excellence Outdoors, Scottish Educational Review, 41 (2), 32-45.
Belo, P. (1995). Escalada na escola. Revista Horizonte, 12 (67).
Pleasants, K. (2009). Learning from a review of research on outdoor learning. Paper presented at "Outdoor education research and theory: critical reflections, new directions", the Fourth International Outdoor Education Research
Conference, La Trobe University, Beechworth, Victoria, Australia.
Rogado, B. (2004). A Segurança nas Actividades de Ar Livre e Exploração da Natureza. Revista Horizonte, 20 (115), 33-38.
(Entre outras)