Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Desenvolvimento Cognitivo

Curso

Ensino de Matemática no 3º Ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário

Grau|Semestres|ECTS

Mestrado | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

130 | 45

Código

ULHT858-11473

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

A. Desenvolvimento cognitivo
I. Aspectos gerais da epistemologia genética de J. Piaget
1. Interaccionismo e Construtivismo
2. Estruturalismo
II. Aspectos psicológicos na construção do número pela criança: investigações experimentais da escola de Genebra
1. Descontinuidade estrutural
2. Continuidade funcional
III. Aspectos pedagógicos
1. Conflito cognitivo e sócio-cognitivo
2. Aprendizagem didáctica da noção de número natural
B. Modelos teóricos sobre as diversas formas de inteligência de sobredotação e de criatividade
1. Modelos: J. Renzulli, H. Winner, R. Sternberg, H. Gardner, N. Geshwind, M. Csikszentmihalyi
2. Diagnóstico diferencial: Perturbação de Asperger e Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção
C. Questões de avaliação e diagnóstico do desenvolvimento cognitivo e criativo
Instrumentos e técnicas de avaliação para professores.
D. Intervenção escolar na promoção cognitiva e criativa

Objetivos

1. Compreender as concepções teóricas subjacentes ao desenvolvimento cognitivo e criativo.
2. Compreender o modelo de desenvolvimento piagetiano (Modelo estruturalista e funcional)
3. Conhecer as diversas metodologias empregues na identificação dos sujeitos sobredotados e criativos.
4. Conhecer algumas técnicas e exercícios que favoreçam a produção criativa e o desenvolvimento cognitivo no sentido da excelência.

Metodologias de ensino e avaliação

Metodologia
1. Abordagem teórica dos temas programáticos, seguida de discussão, através da utilização de método interrogativo e dinâmicas de aplicação prática e trabalhos de grupo.
2. Acompanhamento e monitorização das actividades realizadas em pequenos grupos.
Regime de avaliação contínua:
- 80% de presenças nas aulas.
- Duas provas escritas¿ 50% da classificação final.
- Um trabalho de grupo - 50% da classificação final.
- em qualquer momento da avaliação obter pelo menos 8 valores.
¿ Os alunos que decidirem ir a exame final (1ª época desse mesmo ano) poderão ver contabilizada a classificação obtida no seu trabalho, se assim o desejarem.

Bibliografia principal

Csikszentmihalyi, M. (1998). Creatividad: El fluir y la psicologia del descubrimiento y la invention. Barcelona: Paidós, 41-71.
Diamond, M.; Hopson, J. (2000). Árvores maravilhosas da mente. Rio de Janeiro: Editora Campus.
Doise, W. (1988). Régulations sociales des opérations cognitives. In R. A. Hinde, A. N. Perret-Clermont & J. Stevenson-Hinde (Eds.), Relations interpersonnel¬les et développement des savoirs (pp. 419-440). Fribourg, Allemagne: Delval.
Gardner, H. (1995). Inteligências múltiplas: A teoria na prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 19-32.
Guilford, J. P. (1950). Creativity. American Psychologist, 14, 469-479.
Morgado, L. A. (1987). Em torno da noção de estrutura de conjunto. Revista Portuguesa de Pedagogia, 21, 279-288.
Piaget, J. (1975). L¿équilibration des structures cognitives. Paris: Presses Universitaires de France.
Reis, S. M., Maxfield, L.R. (Eds.) (1998). In S. M. Reis Baum. Nurturing the gifts and talents of primary grade students. Mansfield Center, CT