Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Teorias Gerontológicas

Curso

Gerontologia Social (2.º ciclo)

Grau|Semestres|ECTS

Mestrado | Semestral | 6

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

162 | 24

Código

ULHT795-14157

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Pré-requisitos e co-requisitos

Não aplicável

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. Conceitos básicos do envelhecimento e da gerontologia;
2. A multi e interdisciplinar do conhecimento gerontológico;
3. Percurso histórico e padrões demográficos contemporâneos nas sociedades europeias;
4. Teorias gerontológicas tendo como referencia a dimensão da biológica, psicológica, social e cultural de pessoas idosas;
5. O estado da arte do conhecimento Gerontológico;
6. Paradigmas do envelhecimento saudável, bem-sucedido, produtivo e ativo;
7. Desconstrução dos paradoxos do envelhecimento;
8. Integrar as explicações gerontológicas em processos de pesquisas e em projetos profissionais e estágios

Objetivos

- Enquadrar a história da Gerontologia e os padrões demográficos contemporâneos nas sociedades europeias e contextualizar os conceitos básicos do envelhecimento e da gerontologia;
- Compreender a dimensão multi e interdisciplinar do conhecimento gerontológico e situar os padrões gerontológicos tendo como referência a dimensão da biológica, psicológica, social e cultural de pessoas idosas;
- Incrementar processos para desenvolver o estado da arte do conhecimento Gerontológico e explicar as dimensões do envelhecimento saudável, bem-sucedido, produtivo e ativo;

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

- Analisar citicamente (criticamente)? as dimensões do envelhecimento ativo e integrar as explicações gerontológicas em processos de pesquisas e em projetos profissionais e estágios. Como esta unidade curricular pretende-se desenvolver o conhecimento gerontológicos com destaque para a realidade Portuguesa tendo como referência os padrões internacionais da pesquisa e da intervenção. Por isso a UC está organizada para desenvolver competências de compreensão da multidimensionalidade do conhecimento gerontológico e dos seus paradoxos; Reflexão e argumentação em torno dos paradoxos do envelhecimento; e de questionamento do conhecimento gerontológico para o desenvolvimento de pesquisa e de intervenção em gerontologia.

Metodologias de ensino e avaliação

Aulas magistrais, com frequência voluntária, seguindo o programa da disciplina de acordo com os objetivos definidos. Aulas tutoradas, destinadas a esclarecer, clarificar e aprofundar os temas lecionados nas aulas magistrais, com auxílio de material didático adequado (exercícios práticos). A metodologia de ensino orienta-se para um processo dedutivo centrado nas competências dos discentes e para a compreensão e reflexão conceptual dos temas. A avaliação será contínua valorizando a participação dos discentes na dinâmica de aprendizagem: trabalho de grupo, e exercícios escritos de sistematização dos conhecimentos.

Bibliografia principal

1. Almeida, Mariana (2007), «Envelhecimento: Activo- Bem-sucedido- Saudável-Possíveis coordenadas de análise,Fórum Sociológico, nº 17, pp.17-24.
2. Ballestero, Rocio Fernandez (2000), Gerontologia Social, Madrid: Editor: PIRAMIDE
3. Carvalho, Maria Irene (2012), Envelhecimento e cuidados domiciliários em Instituições de solidariedade, Lisboa: Coisas de ler.
4. Lima, Antónia Pedroso (2010), Envelhecimento(s), Estado da Arte, Coimbra, Impressa da Universidade de Coimbra.
5. Netto, Matheus Papaleo (1999), Tratado de Gerontologia - 2ª Edição, Ateneu.
6. PAÚL, Constança e RIBEIRO, Óscar, (2012), Manual de Gerontologia, Lisboa, Lidel

7. PAÚL, Constança e RIBEIRO, Óscar, (2011), Manual do Envelhecimento ativo, Lisboa, Lidel
8. PEREIRA, Fernando et al, (2012), , Teoria e Prática da Gerontologia - Um guia para cuidadores de idosos, Viseu, Psicosoma.
9. Viegas, Susana de Matos; Gomes, Catarina Antunes (2007), A Identidade na Velhice, Porto, Âmbar.