Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Eficiência Energética e a Engenharia Civil

"No futuro, temos de projetar edifícios que não consumam nada"

Licenciatura em Engenharia Civil

A Universidade Lusófona foi a anfitriã da conferência "Soluções para Eficiência Energética de Obra Nova e Reabilitação", que teve lugar no dia 27 de abril. A conferência foi organizada no âmbito do curso de Engenharia Civil, e teve como convidados dois engenheiros da empresa Guadian Sun.

A Universidade Lusófona foi a anfitriã da conferência"Soluções para Eficiência Energética de Obra Nova e Reabilitação", que teve lugar no dia 27 de abril. A conferência foi organizada no âmbito do curso de Engenharia Civil, e teve como convidados dois engenheiros da empresa Guadian Sun uma empresa que fabrica os mais variados tipos de vidro e que nos apresentou esse material como sendo uma solução viável para uma maior eficiência energética.

A conferência começou com uma apresentação das propriedades físicas e químicas dos componentes que formam o vidro, a cargo do Professor José Nascimento, especialista em Materiais de Construção e docente do curso de Engenharia Civil da Universidade Lusófona.

A Eng.ª Ana Fernandes contextualizou a Guardian Sun de uma forma mais holística, referindo que a empresa tem mais de 20 filiais à volta do mundo, sendo que a sua sede é em Auburn Hills (Michigan, EUA). Na península ibérica, a Guardian tem dois centros de produção de vidro (Llodio e Tudela, Espanha) e uma fábrica de injeção de vidro em Valência (Espanha). A empresa conta com 12 pontos de distribuição em Espanha e com 2 em Portugal (Lisboa e Faro).

"A cereja no topo do bolo", como referiu a engenheira é ter vidro Guardian em toda a envolvente do edifício mais alto do mundo. Este edifício é o Burj Khalifa que se situa no Dubai e tem mais de 800 metros de altura.

"No futuro, temos de projetar edifícios que não consumam nada", isso seria conseguir uma eficiência energética total.

O Eng.º Juan Ramon Egido contextualizou os presentes no que se refere aos vidros utilizados de acordo com a envolvente dos edifícios, explicando que, para ser energeticamente eficiente, tem de ser bem estudada a conceção, o desenho do vidro, assim como, o clima da zona onde se encontra o edifício.

Comunicação LOC
João Ribeiro