Contacto WhatsApp 963640100

Universidade Lusófona

Uma aventura inesquecível

Cerca de 100 peças online e 1176 tweets depois, termina o 4º Congresso dos Jornalistas Portugueses.

O 4º Congresso dos Jornalistas Portugueses terminou no domingo, 15 de janeiro. A precariedade, a falta de condições de trabalho e a dependência dos estágios curriculares foram alguns dos problemas discutidos e com propostas aprovadas no sentido de os tentar resolver, expressas na resolução final. Mas o congresso foi também marcado pelo elogio ao jornalismo de investigação, à importância da profissão e a relação direta entre saúde dos média e qualidade da democracia.

A Lusófona participou nesta organização histórica. Já não havia um congresso de jornalistas há quase 20 anos e tudo começou a ser planeado há cerca de um ano. Sindicato dos Jornalistas, Casa da Imprensa e Clube dos Jornalistas uniram-se para colocar de pé o 4º Congresso. Uma pequena comissão executiva, presidida pela jornalista Maria Flor Pedroso, começou a trabalhar e a recolher apoios. E surgiu uma ideia com sabor a utopia: a parceria entre academia e jornalistas. Foram convidadas dez instituições de ensino superior, do Norte ao Sul do país, com curso de jornalismo.


Emoções e números

Desses dez parceiros chegaram ao cinema S. Jorge, que acolheu os quatro dias do congresso, dois professores e oito alunos, nove no caso da Lusófona, por um feliz acaso. Juntaram-se aos jornalistas da comissão organizadora e a uma equipa do Cenjor, o Centro Protocolar de Formação para Jornalistas. Um apoio que se revelou fundamental e determinante para a construção da redação multiplataforma, batizada como Media Lab, com condições técnicas e humanas que qualquer órgão de comunicação social gostaria de ter. No seu conjunto, a redação do congresso fervilhou com mais de 100 pessoas.

Para além do trabalho, das emoções, dos elogios e das críticas, ficam os números. Nas redes sociais: 1178 tweets, mais de uma centena de posts na página de Facebook, que arrecadou 2176 gostos, e 30 vídeos no Youtube. No velhinho papel, quatro jornais que acompanharam os dias do congresso, todos com peças de alunos da Lusófona. E cerca de uma centena de trabalhos publicados no site do congresso, entre notícias, fotogalerias, vídeos, noticiários de rádio, infografias, percorrendo notícias, entrevistas, reportagens e perfis.

Um bocadinho do espírito desta aventura fica registado nas peças abaixo, mas muito mais há a descobrir no site que alojou tudo o que se foi produzindo:
http://www.jornalistas.congressodosjornalistas.com/sala-2-a-experiencia-de-uma-redacao-laboratorio/
http://www.jornalistas.congressodosjornalistas.com/4-dias-em-4-minutos/
http://www.jornalistas.congressodosjornalistas.com/radio-e-o-consenso-chegou-ao-quarto-dia/
http://www.jornalistas.congressodosjornalistas.com/o-congresso-em-imagens/
https://www.youtube.com/watch?v=i7FoklYd9Dk