filmeu

Disciplina Artes dos Media e Imersão

  • Apresentação

    Apresentação

    Os conteúdos do programa centram-se em algumas das principais questões que têm afetado os media imersivos ao longo da sua história, incidindo sobre momentos de evolução que não implicaram rupturas ou a descontinuação de media anteriores. A unidade curricular visa investigar a imersão como um paradigma histórico da arte dos media e como um desafio permanente colocado à tecnologia.

  • Conteúdos Programáticos

    Conteúdos Programáticos

    1. A imersão como paradigma das artes dos media;

    1.1. A ilusão e a imersão na história e no pensamento das imagens;

    1.2. A experiência estética da proximidade: a atracção e o perigo;

    1.3. A importância da imersão no projecto moderno;

    1.4. O óptico e o háptico nas teorias da percepção;

     

    2. Os estudos arqueológicos dos espectáculos ópticos imersivos; 

    2.1. A imersão nas práticas de ecrã: o panorama, o neorama e o cinerama;

    2.2. A imersão nas práticas de espreitar: as caixas ópticas, os cosmoramas e os estereoscópios;

    2.3. A cultura visual imersiva em Portugal e o seu sistema mediático na Europa; 

     

    3. A imersão como estratégia de mediação artística e cultural;

    3.1. O uso da realidade virtual para a recriação de monumentos, sítios e exposições históricas;

    3.2. O estudo e a remediação da fotografia estereoscópica em realidade virtual;

    3.3. A experimentação artística em realidade virtual: casos de estudo.

     

  • Objetivos

    Objetivos

    1. Saber reconhecer a imersão como uma das linhas de continuidade entre os media pré-fotográficos e os media fotográficos;
    2. Conhecer a cultura dos media imersivos em Portugal desde o século XIX;
    3. Conhecer a origem do sistema mediático dos media imersivos na Europa;
    4. Saber analisar as remediações artísticas contemporâneas dos dispositivos imersivos modernos;
    5. Saber identificar as práticas intermedia dos espectáculos ópticos e conhecer a sua retórica sobre a imersão;   
    6. Conhecer e saber analisar usos culturais e artísticos de media imersivos antigos através da realidade virtual;  
  • Metodologias de ensino e avaliação

    Metodologias de ensino e avaliação

    A metodologia de ensino adoptada é teórica, estruturando-se a partir de aulas expositivas onde serão apresentados conceitos, textos, casos de estudo e exemplos diversificados de documentos históricos (iconográficos, de imprensa e cultura material), possibilitando o manuseamento e a experiência visual de imagens imersivas através de equipamentos ópticos adequados. 

    Os textos expostos corresponderão aos vários pontos do programa, podendo ser seleccionados pelos alunos para apresentação e discussão oral.

  • Bibliografia principal

    Bibliografia principal

    Crary, J. (1992). Techniques of the Observer. On Vision and Modernity in the Nineteenth Century. Massachussets, The MIT Press.

    Flores, V. (org.) (2019). The Third Image. Stereo Photography in Portugal, Lisbon: Documenta.

    Grau, O. (2003). Virtual Art. From Illusion to Immersion. Cambridge, MA: MIT Press.

    Grau, O. (2019). ‘Alguma vez nos vamos habituar à imersão? Histórias da Arte dos Média & Ciência da Imagem’, in A Terceira Imagem. A fotografia estereoscópica em Portugal (org. Victor Flores). Lisboa: Documenta.

    Griffiths, A. (2013). Shivers Down Your Spine. Cinema, Museums, and the Immersive View. New York: Columbia University Press.

    Huhtamo, E. (2006). ‘The pleasures of the peephole: An archeological exploration of peep media’. In Book of imaginary media: Excavating the dream of the ultimate communication medium. Rotterdam: NAI.

    Musser, C. (1984). ‘Toward the History of Screen Practice’. Quarterly Review of Film Studies 9, no.1.

INSCRIÇÃO AVULSO
Lisboa 2020 Portugal 2020 Small financiado eu 2024 prr 2024 republica portuguesa 2024 Logo UE Financed Provedor do Estudante Livro de reclamaões Elogios